|»HOME ..| »MINISTÉRIO..| »PASTOR |.. »CONTATOS ..|»ORAÇÃO |.. »TV PALAVRAS DA VIDA
João 14:6 | Jesus disse: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida." Envie um e-mail para o Pastor Sérgio Adicione esta página no seu Favoritos
Menu Clique e leia mais de 200 estudos bíblicos

ATOS DOS APÓSTOLOS / CAP. 15

 

Leia os comentários seguindo a seqüência dos textos, conferindo versículos por versículos.

Obs. Os textos bíblicos é o que edifica.

Havendo chegado a Antioquia de onde havia saído para sua missão (Atos 13: 1 – 4), Paulo e Barnabé aproveitaram logo uma oportunidade para reunir os crentes a fim de contar-lhes quão grandes coisas o Senhor fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé (Atos 14: 24- 26). A igreja de Antioquia era grande e prospera, centro de atividades missionárias era uma das mais importantes entre os grupos de cristãos (Atos 11: 27- 30). Suas congregações eram compostas por pessoas de diferentes classes tanto judeus como gentios (Atos 11: 19- 20). Enquanto os apóstolos se uniam aos ministros e membros em Antioquia num fervoroso esforço para ganhar conversos para Cristo. “Alguns crentes vindos da Judéia da seita dos fariseus” (Atos 15: 5) conseguiram introduzir uma questão que em breve levou uma grande controvérsia na igreja, produzindo consternação nos crentes gentílicos (Atos 15: 24).

 

A controvérsia acerca da circuncisão

ATOS 15: 1- Alguns homens que desceram da Judéia ensinavam aos irmãos: Se não fordes circuncidados conforme o costume ensinado por Moisés, não podereis ser salvos.

Observamos que o nome destes homens não é mencionado no texto (Ex 23: 1a; Is 52: 7; II Tm 2: 15- 17ª; II Tm 2: 2). Eles foram tratados como alguns (Atos 15: 24; Sl 15: 1- 3; Ef 5: 18- 20). Eles eram alguns que ensinavam (I Co 8: 2; II Tm 3: 1- 6; Ez 28: 13- 15; Is 14: 13- 14; Fp 2: 5- 9). Existem muitos alguns que ensinam (I Tm 3: 1- 5; II Tm 3: 1- 6; Jd 12; Mt 13: 24- 25; I Jo 4: 6). De Jerusalém saiu à palavra (Mq 4: 1- 2; Atos 6: 1- 7; Atos 8: 1- 4). Estes desceram da Judéia, como muitos desciam (Atos 11: 27; Atos 21: 7- 11; Amós 3: 7; Atos 21: 17- 32; Atos 23: 11; Atos 25: 13- 25; Atos 28: 11- 14; Dt 18: 21- 22; Nm 23: 19; Atos 16: 31). A liderança da igreja nos primeiros anos ficava em Jerusalém (Atos 6: 1- 7; Atos 8: 14; Atos 9: 1- 27; Atos 11: 1; Atos 15: 2). Estes que no texto são tratados como alguns não falavam em nome da igreja (Atos 15: 23- 24; Gl 1: 7; Mt 11: 28- 30; II Co 3: 17; Jo 8: 36; Atos 15: 28- 29). Eram judeus da seita dos fariseus que haviam aceitado a salvação (Atos 15: 4- 5; Is 29: 13; Os 4: 6ª). Os fariseus eram apegados a coisas (Mc 7: 1- 3; Mt 15: 1- 20; Cl 2: 4- 22; Rm 14: 17). Os fariseus estão em nosso meio (Mt 13: 47; Mt 4: 18- 19; Mt 5: 1- 6; Atos 2: 37- 41; Atos 4: 1- 4; Jo 21: 1- 11; Atos 6: 7). Os fariseus viviam das aparências (Mt 23: 1- 7; I Sm 16: 6- 7; Jo 7: 24; Tg 2: 1- 4; Dt 10: 16- 18).

Quantos, que estão em nosso meio e que ainda estão aprisionados? (Gl 5: 1; Mt 12: 43- 45; II Pd 2: 20- 22; I Co 6: 18- 20; I Co 3: 16- 17). Os fariseus estavam debaixo do jugo da lei (Rm 10: 4; Gl 4: 1- 6; Gl 3: 7- 14; Ef 1: 13; Ef 2: 1- 18; I Co 12: 12- 13). O povo morre por falta de conhecimento (Os 4: 6ª; II Pd 3: 18- 20; Ap 3: 20; Ef 4: 15- 16). Onde não há conhecimento qualquer fariseu vira professor (Rm 2: 17- 22; II Co 11: 13- 15; Atos 20: 28- 30; Is 3: 12; Is 9: 16). Estes ensinavam aos irmãos: E ensinavam com autorização de quem? (Ef 4: 7- 11; Rm 12: 6- 7; Mt 25: 14- 25; Lc 17: 5- 10; Ef 5: 14). Eles estavam ensinando heresias para o povo (Atos 15: 24; Ef 4: 7- 14; II Pd 2: 1- 2; I Jo 4: 1). Se a circuncisão fosse necessária para a salvação, o sacrifício de Cristo na cruz não teria valor algum (Gl 5: 2; I Pd 1: 18- 20; Is 53: 1- 12; Jo 1: 29; Ap 5: 1- 18; I Ts 5: 17; Lc 18: 1; Sl 55: 17; Dn 6: 10; Lm 3: 29- 31; Mt 6: 6). Se guardar o sábado for necessário para a salvação, o sacrifício de Cristo na cruz não tem valor algum (Cl 2: 12- 17; Mc 2: 27; Mt 12: 8; I Tm 2: 5). A salvação é gratuita (Jo 3: 16; Jo 7: 37- 38; Ap 22: 17; Is 55: 1), o preço já foi pago (I Co 1: 18- 24; Cl 2: 13- 15; Ef 2: 1- 16; Rm 5: 1- 21).

ATOS 15: 2- Surgindo, da parte de Paulo e Barnabé, grande contenda e discussão entre eles, resolveram que estes dois, e alguns dentre eles, fossem aos apóstolos e ancião em Jerusalém.

Uma medida de fermento leveda toda a massa (I Co 5: 6- 7; Gl 2: 13- 15; I Co 15: 33; I Co 5: 11; Ef 5: 11). Aqueles que vieram de Jerusalém trouxeram doutrinas que eram contrárias, aquelas que Jesus pregava (Mt 16: 5- 10; Mt 6: 25; Mt 16: 11- 12; Lc 11: 52; Os 4: 6ª). Veja a confusão que estes causaram: Paulo e Barnabé estavam pregando a salvação gratuita (Is 55: 1; Ap 22: 17; Mt 10: 5- 8), sem jugo algum (Mt 11: 28- 30; Rm 10: 4; Jo 8: 36). A circuncisão era uma ordenança da lei (Lv 12: 1- 3; Jo 7: 19- 22; Gn 17: 9- 14), assim como o dizimo (Gn 14: 18- 20; Hb 7: 1- 5; Nm 18: 8- 24; Hb 7: 11- 14; Ap 5: 1- 5; Mt 11: 28- 30; II Co 3: 17; Atos 15: 28- 29). Jesus foi circuncidado (Lc 2: 21- 24) e cumpriu a lei (Mt 5: 17), mas Jesus era judeu de nascimento (Hb 7: 14; Jo 4: 20- 22; Mt 1: 2- 16). Nós não somos judeus, e não pertencemos a nenhuma tribo de Israel (Gn 32: 14- 28; Gn 49: 1- 33; Nm 36: 9). Somos igreja de Cristo (Mt 16: 13- 19; I Co 12: 12- 13; Ef 4: 1- 16) gerada dos gentios (Mt 12: 18- 21; Is 42: 1- 6; Atos 13: 44- 48; Jo 3: 16).

Se o dizimo é obrigatório (Nm 18: 24; Nm 36: 9; Hb 7: 11- 14; Ap 1: 4- 6); circuncidar (Gn 17: 9- 10; Js 5: 1- 2; Gl 5: 1- 2), e guardar o sábado (Ex 20: 9- 11; Mt 12: 8; Cl 2: 8- 17; Rm 10: 4) também são (Tg 2: 10- 12; Jo 8: 36; I Co 14: 20; I Co 13: 11; II Pd 3: 15- 18). A igreja de Jerusalém tinha que resolver este problema (Pv 11: 14; Atos 15: 6- 29; Ef 2: 1- 9; Jr 9: 23- 24). Os fariseus convertidos não tinham entendido o significado da graça (II Co 12: 1- 9; Ex 33: 13- 14; Is 7: 14; Mt 1: 23; Mt 28: 18- 20; Atos 18: 9- 10). Eles ainda estavam aprisionados, e acreditavam que as ordenanças da lei eram necessárias para a salvação (Rm 10: 4; Gl 3: 22- 24; Rm 5: 1- 21; Gl 3: 11; II Co 5: 7; Mt 18: 20; Sl 122: 1). Paulo e Barnabé eram contra (Gl 2: 11- 13; Dt 29: 29; Gl 2: 16- 21). Houve uma discussão entre eles (II Pd 3:: 15- 16; Gl 1: 11- 12; II Co 3: 4- 9; II Co 5: 14- 21). Este acontecimento gerou uma contenda na igreja de Antioquia, e acabou concorrendo para o bem de toda a igreja (Rm 8: 28; Ef 1: 11; Jo 15: 16; I Jo 3: 18- 19; Jr 31: 3). Embora tenhamos nos dias de hoje, muitos que se dizem igreja de Cristo, que não concordam com esta com esta interpretação (I Jo 4: 6; Tg 2: 12; Gl 5: 1- 2; II Co 13: 8; Jo 17: 17; Atos 15: 28- 29; Jo 8: 36; II Co 3: 17; Gl 6: 1- 2).

ATOS 15: 3- Enviados pela igreja, atravessaram as províncias da Fenícia e Samaria e, descrevendo a conversão dos gentios, causaram grande alegria a todos os irmãos.

No inicio Paulo e Barnabé, foram enviados pelo Espírito Santo (Atos 13: 1- 4; Atos 8: 29- 38; Atos 10: 19- 48; Atos 16: 6- 33; Mt 28: 18- 19; Mc 16: 16; Ap 3: 6), e agora são enviados pela igreja (Ef 1: 13; Atos 5: 32; Atos 15: 28; Ap 22: 17).  Antes foram enviados para missões (Mc 16: 15; Atos 1: 8; Rm 15: 18- 19; I Co 2: 2) e agora foram enviados para resolver uma contenda que estava atrapalhando a conversão dos gentios (Jo 14: 26; Mt 16: 5- 12; Atos 15: 19- 21; II Co 3: 9- 17; Atos 15: 22- 29). Paulo, Barnabé, e um grupo de irmãos caíram na estrada e pegaram o caminho percorrido por gentios (Mc 7: 24- 27; Lc 10: 13- 15; Mt 4: 12- 16) e samaritanos (Lc 9: 51- 53; Jo 4: 1- 9; Jo 8: 44- 48; Lc 10: 25- 35; Ap 22: 12). Caminho que os judeus não percorriam (Mt 10: 5; II Rs 17: 24- 34; I Co 10: 14- 21; II Co 6: 14- 17; Pv 9: 10). Jesus teve o seu ministério terreno exclusivo para os judeus (Mt 10: 6; Mt 15: 21: 24; Atos 3: 12- 26). Com a ressurreição a porta se abriu para os gentios (Mt 12: 9- 21; Jo 10: 16; Jo 12: 32; Lc 2: 21- 32; Jo 8: 12).

 A introdução da circuncisão nas doutrinas da igreja de Cristo aprisionava os gentios que estavam se convertendo (Gl 5: 1- 2; Mt 11: 28- 30; Jo 8: 31- 32; Jo 17: 17). Isto não era graça (Ef 2: 5- 9; Rm 3: 21- 24; Jo 1: 17). A lei e suas ordenanças impediam a salvação das almas (Jo 3: 16; Ef 1: 13- 14; Atos 16: 31). O importante para o apóstolo Paulo era alcançar os gentios (Atos 26: 13- 18; Atos 15: 46- 47; Atos 18: 1- 6; Atos 22: 20- 21; Rm 11: 13). As cidades que ficavam nas regiões da Fenícia e Samaria já tinham recebido a Palavra (Atos 8: 1- 14; Atos 1: 8; Mt 24: 14; Dn 2: 1- 35; I Pd 2: 4- 5; Rm 12: 1- 2). Portanto havia igrejas neste caminho (Gn 1: 28; Mt 13: 31- 32; Lc 14: 15- 23; I Tm 2: 1- 5). O objetivo dos apóstolos era fortalecer as igrejas (Is 35: 3- 4; Jó 4: 3- 4; Hb 12: 11- 15; Mt; Mt 6: 14; Mt 5: 38- 48; Rm 12: 18- 21; Sl 122: 1; Sl 133: 1). Visitando e contando com grande alegria, o que Deus estava fazendo no meio dos gentios (Is 29: 13- 14; Sl 149: 6; Hb 4: 12; Ef 6: 10- 17), os apóstolos davam grande testemunho do Senhor Jesus Cristo (Jo 15: 26; Atos 1: 8; Rm 15: 18- 19). Com certeza os apóstolos não mencionaram nas igrejas que passaram o assunto circuncisão (Atos 15: 1; Jó 13: 5; Pv 17: 28). A polêmica sobre a circuncisão agora era assunto da liderança da igreja que ficava em Jerusalém (Atos 15: 2; Pv 11: 14; Ex 18: 1- 26; Ap 3: 6).

ATOS 15: 4- Quando chegaram a Jerusalém, foram bem recebidos pela igreja, pelos apóstolos e pelos presbíteros, e relataram tudo o que Deus tinha feito Junto com eles.

 Os apóstolos tinham acabado de chegar de uma missão onde eles falaram o tempo todo de Jesus (II Tm 4: 2; I Co 2: 2; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11; I Co 1: 18; Cl 2: 2- 3; Ef 1: 18- 22; Jo 3: 29- 30). Eles estavam cheios de alegria e do Espírito Santo (Rm 14: 17; Ef 5: 18- 20; Sl 122: 1; Sl 149: 6; II Tm 4: 2). Falar de Jesus enche do Espírito Santo (Atos 10: 36- 46ª; Atos 4: 23- 31; I Sm 10: 6- 7). É, em um bom sentido, um circulo vicioso (Jo 14: 26; Jo 15: 1- 5; Cl 3: 1- 3; Rm 6: 10- 11; Gl 2: 20). Falar de Jesus enche do Espírito Santo (Jo 4: 1- 14; Jo 7: 37- 39; Ap 22: 17; Is 55: 1), e quando se está cheio do Espírito Santo não consegue se falar de outro nome (Jo 15: 26- 27; Atos 4: 8- 12; Atos 6: 3- 5; Atos 8: 5; Atos 9: 17- 22; I Co 2: 1- 5; Fp 2: 9- 11). Muito se fala de avivamento: Os apóstolos estavam vivendo um tempo de avivamento (Hc 3: 2- 4; Ml 4: 2- 5; Gl 4: 4- 6; Mt 11: 13- 14). O avivamento é pessoal (Atos 6: 1- 5; Atos 8: 5- 6; Atos 6: 8; Nm 11: 23- 29; Lc 11: 1- 13; Atos 4: 24- 31) e começa no interior de cada um (Ap 3: 20; Pv 23: 26; Jo 10: 1- 2; Sl 23: 1- 5; II Rs 4: 1- 6). Duas coisas são necessárias para se gerar um avivamento. Primeiro: Não tem avivamento sem quebrantamento (Atos 2: 37; Sl 51: 17; Lm 3: 29; I Sm 1: 1- 15; Lc 18: 9- 14; I Sm 1: 16- 20; I Sm 2: 1- 10). Segundo: Não tem avivamento sem se dobrar na presença do Senhor Jesus (Fp 2: 9- 11; Jo 13: 7; I Pd 5: 6). Quanto mais você desce (Jo 3: 30; Jó 11: 4- 9; Rm 11: 33- 36; Ef 3: 8- 10; Cl 2: 2- 3), mais a água sobe (Ez 47: 3- 5a; I Pd 5: 6; Pv 9: 10; Ef 5: 18). O avivamento esta relacionado com presença do Senhor Jesus (Mt 18: 20; Lc 24: 13- 32; Atos 18: 9- 10), e com a presença do Espírito Santo (Jo 14: 23; I Jo 2: 24; Jo 10: 30; Jo 14: 8- 9; Lc 4: 18; Jo 14: 15- 16).

No ultimo dia no grande dia da festa, Jesus levantou exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba (Jo 7: 37; Ez 47: 1- 9; Jo 2: 19- 21; Jo 12: 32). A igreja precisa ter sede de Deus (Jo 14: 1- 14; Ap 22: 17). Sede está relacionada com água (Ex 17: 3; Is 29: 13; Jr 2: 12- 13), e água esta relacionado com Espírito Santo (Jo 7: 38- 39; Atos 1: 4- 5; Atos 11: 1- 16; Atos 2: 1- 4; Atos 11: 17; Atos 10: 9- 45; Ef 4: 7- 8; I Co 12: 12- 13; Gl 3: 27- 28; I Co 12: 14; Ef 4: 11- 14). Todos aqueles que aceitam Jesus Cristo como seu Senhor (Rm 10: 8- 9; Jo 1: 1- 12; Atos 4: 12: Fp 2: 9- 1) tem o Espírito Santo (Ef 1: 13; Jo 7: 37; Ez 47: 1- 9; Ez 37: 1- 10; Is 13: 2- 4; Jl 2: 16; Ap 22: 17). Então o que farei para que o avivamento aconteça na minha vida? Se encha do Espírito Santo (Ef 1: 18). Como farei isso? Devore a palavra de Deus (Ez 3: 1a- 2; Sl 1: 2- 3; Js 1: 8). A igreja precisa ter fome da palavra de Deus (Amós 8: 11; Sl 1: 1- 2; Js 1: 8). Fome esta relacionado com alimento sólido (Ex 16: 3). Alimento sólido nos lembra do pão (Ex 16: 4; Jo 6: 49: 50), e pão esta relacionado com Jesus (Jo 6: 48; II Pd 3: 18; Ap 20: 11- 13).

 A fé em Jesus Cristo produz a água que mata a sede (Jo 4: 1- 14), e o pão que mata a fome (Jo 8: 35). A igreja de Jerusalém esperava com alegria a chegadas destes dois missionários (Sl 126: 5- 6; Is 52: 7; Na 1: 15; Rm 16: 20). Barnabé já era bem conhecido da igreja de Jerusalém (Atos 9: 23- 27; Atos 11: 19- 22; Gl 2: 11- 13; Dt 29: 29). Afinal ele havia se convertido no grande avivamento dos primeiros anos da igreja (Atos 4: 32- 37; Mt 6: 19- 21; Hc 3: 2; Ef 1: 3- 10). Paulo nesse tempo era pouco conhecido pela sua obra missionária (Gl 1: 22; Atos 11: 22- 30; Atos 12: 25; Atos 13: 1- 4), mas muito conhecido por ter sido um grande perseguidor da igreja (Atos 9: 1- 30; I Co 9: 1- 6; II Co 5: 17). Observamos que eles relataram tudo o que Deus tinha feito junto com eles. Ou seja, eles não estavam sós (Ap 22: 17; Atos 5: 32; Atos 15: 28). Deus é Espírito e precisa da parte humana para salvar todos os humanos que aceitam a salvação (Ef 4: 7- 11; I Co 12: 1- 11). Deus precisa do homem para pregar para o próprio homem (Mc 15: 16; Atos 1: 8). Deus não precisa de todos os homens (Mt 22: 14; Jz 7: 1- 7; Sl 18: 28- 29), mas escolhe alguns dentre os filhos dos homens (Atos 13: 22; Jo 4: 23; Sl 101: 6; Ez 22: 30; Sl 149: 6; II Tm 2: 15). O avivamento te espera (Ap 3: 20).

ATOS 15: 5- Então, se levantaram alguns da seita dos fariseus que haviam crido, e disseram: É necessário circuncidá-los e exigir que observem a lei de Moisés.

Os inimigos da cruz estavam presentes (Fp 3: 18; Gl 5: 1; Gl 1: 6- 8; II Co 11: 14- 15; Ef 4: 27; I Pd 5: 8). A observância da lei é inimizade com a cruz (Gl 5: 2; I Co 1: 18- 24; Cl 2: 13- 16; Ef 2: 1- 6; Gl 6: 12- 14; Rm 10: 4). Quando Paulo e Barnabé chegaram acompanhados pelos irmãos que foram enviados pela igreja de Antioquia (Atos 15: 2) encontraram a igreja de Jerusalém totalmente tomada por falsos irmãos (Gl 2: 1- 4a; II Co 11: 24- 26; Lc 22: 47; I Jo 3: 18). Os fariseus eram um povo falso (Nm 11: 4; I Co 15: 33; I Co 5: 9- 12; Jo 7: 24) no meio de um povo verdadeiro (Pv 13: 7; Pv 9: 10; Sl 119: 11; II Cr 16: 9ª). Eles se intrometeram no meio da igreja com objetivo de colocar jugo pesado sobre a igreja (Jr 5: 26; Gl 2: 4b- 5; Jo 8: 36; Cl 2: 4- 17; Gl 3: 2; Ef 1: 13). Os fariseus eram o joio no meio do trigo (Mt 13: 24- 26). O cristianismo em Jerusalém, nesta época ainda era uma ramificação do judaísmo (Atos 11: 19; Atos 10: 24- 28; Gl 2: 11- 13), e o judaísmo eram compostos por varias seitas (Atos 26: 1- 5). E entre elas estavam às principais: Os fariseus e os saduceus ((Atos 23: 1- 8; Mt 9: 14; Mt 12: 14; Jo 8: 44).

Os da seita dos fariseus que se convertiam, continuavam observando a lei de Moisés (Atos 15: 21) e seguindo os costumes dos antigos (Gn 17: 9- 11; Jo 7: 19- 24; Rm 2: 17- 29; Jr 9: 23- 24). Estes queriam introduzir a circuncisão como doutrina na igreja de Cristo (II Co 3: 13- 16). O tempo passou, mas nada mudou (Is 25: 6- 7; Tg 1: 27; Mt 23: 1- 2; Amós 8: 11; Hc 3: 2). Os falsos irmãos estão em nosso meio (Ez 33: 31- 32). Os fariseus estão ocupando os púlpitos (Mt 23: 1- 2; II Co 11: 14- 15; II Pd 2: 1- 3). Qual a diferença entre o crente fariseu, e o crente não fariseu? O fariseu julga pela a aparência (Jo 7: 24), e o não fariseu, sabe que Deus sonda o coração (I Sm 16: 7b). O fariseu está firmado na letra (Jo 9: 1- 29; Ex 3: 1- 14; Jo 6: 48; Jo 8: 12; Jo 10: 9 e 11; Jo 11: 25; Jo 14: 6; Jo 15: 1), e o não fariseu está firmado na presença (Jo 9: 30; Jo 6: 63; II Co 3: 6; Jo 9: 31- 37). O fariseu segue seu próprio raciocínio (I Co 8: 2; Jo 5: 39; Is 43: 8), e o não fariseu é guiado pelo Espírito de Deus (Rm 8: 14; Jo 1: 1- 13; Ef 1: 13). O fariseu vê tudo com os olhos da carne (Jo 3: 1- 12; II Co 4: 18; II Co 5: 7; Hb 11: 6), o não fariseu vê tudo com olhos espirituais (II Co 2: 15- 16; I Jo 2: 15- 17; Tg 4: 4- 5). O fariseu é religioso (Ez 33: 31- 32; Tg 1: 22- 27; Mt 6: 24; I Rs 18: 21), o não fariseu é verdadeiro adorador (Jo 4: 23-24; Sl 101: 6; Atos 13: 22; Ap 2: 4).

A ASSEMBLÈIA DE JERUSALÉM

ATOS 15: 6- Os apóstolos e os anciãos se reuniram para examinar a questão.

A liderança da igreja era dos apóstolos que foram escolhidos por Jesus (Atos 1: 13- 26; Gl 2: 9; Jo 15: 16; Sl 101: 6), e pelos anciãos (I Co 15: 1- 6; Atos 1: 9- 12; Atos 4: 24- 31; Atos 6: 1- 3; Atos 8: 14- 15; Atos 11: 1- 18; Sl 133: 1- 3). Pedro foi o Pastor escolhido por Jesus (Atos 15: 7; Mt 16: 13- 18; Jo 21: 15- 19; Atos 10: 1- 44) e o principal líder da igreja neste tempo (Atos 1: 15; Atos 2: 14; Atos 3: 1; Atos 5: 1- 3). Os Anciãos eram os mais idosos que se converteram com a pregação de João Batista (Atos 1: 21- 22; Mt 3: 1- 6; Mt 11: 1- 14; Ml 4: 5; Ml 3: 1), e que depois passaram a seguir Jesus durante o seu ministério terreno (Jo 3: 24- 31; Lc 10: 1). Os apóstolos e anciãos se reuniram para examinar a questão (I Co 14: 33; I Rs 12: 1- 14; Pv 11: 14; I Rs 12: 15- 16; Ap 3: 6). Com certeza eles não decidiram de imediato (Sl 40: 1; Sl 27: 14; Sl 42: 5). A decisão da assembléia custou muitas horas de oração (Mc 14: 32- 38; Atos 1: 13- 14; Atos 2: 1; Atos 3: 1; Atos 4: 24; Atos 6:1- 4; Atos 10: 9; Atos 12: 1- 5; Atos 13: 1- 2; Atos 15: 28; Rm 8: 14). Se todas as vezes que você tiver que tomar uma decisão em sua vida você buscar ao Senhor em oração (I Ts 5: 17; Jr 29: 13), com certeza você vai tomar a decisão correta (Jr 33: 3; Mt 6: 6; II Cr 7: 14; Tg 5: 16 b).

ATOS 15: 7- Depois de haver grande discussão, Pedro tomou a palavra e lhes disse: Irmãos, sabeis que, há muito tempo, Deus me escolheu dentre vós para que os gentios, por minha boca, ouvissem a palavra do evangelho e cressem.

 Depois de o momento de oração (Atos 1: 13- 14; Atos 2: 1; Atos 10: 9; Atos 12: 5; I Ts 5: 17; Lc 18: 1- 8; Atos 12: 6- 12; Jr 16: 6) os apóstolos e os anciãos resolveram colocar o assunto em discussão (Atos 15: 6; Pv 11: 14; Ex 18: 1- 25; Atos 13: 1- 2; II Tm 2: 15; Sl 101: 6; Atos 13: 3- 4). Não se escandalize, discussão era comum entre os irmãos da igreja primitiva (Atos 15: 2; Atos 13: 13; Atos 15: 36- 39; Ef 4: 30- 31; Hb 12: 14- 15; Mt 6: 14- 15; Cl 4: 10; Fp 3: 13- 14). Houve realmente uma grande discussão entre eles (Dt 29: 29; Sl 25: 14; Pv 9: 10; Mt 7: 24- 25; I Pd 2: 3- 10). O assunto era referente à lei (Rm 10: 4; Hb 11: 6; Atos 16: 31), e criou polemica (Atos 6: 8- 14; Jo 1: 17; Dt 4: 44; Ex 20: 1- 21; Hb 7: 11- 22; Ef 1: 13- 14; Ef 2: 1- 9; Jr 9: 23- 24). Os apóstolos estavam reunidos (Atos 15: 6), mas onde; em uma casa (Hb 10: 25) ou no templo? (Sl 122: 1; Sl 133: 1; Mt 18: 20). Embora o cristianismo ainda fosse uma ramificação do judaísmo, e os discipulos ainda freqüentassem o templo (Atos 3: 1; Atos 2: 41- 46a; Atos 5: 12; II Cr 9: 1- 6; Mt 12: 42; Jó 11: 6ª; Cl 2: 2- 3; Ef 3: 8- 10; I Co 2: 1- 5; I Co 1: 18- 19) eles não se reuniam no templo para resolver problemas interno da igreja de Cristo (Atos 15: 21; Atos 6: 1- 7; Atos 18: 4- 11). Os problemas internos da igreja de Cristo eles resolviam nas casas (Atos 1- 14- 22; Atos 2: 1; Atos 1: 4- 5; Atos 12: 1- 5 e 11- 12). Era nas casas que a igreja se reunia (Atos 1: 13; Mc 14: 12- 15). No templo eles participavam das pregações (Atos 13: 13- 16), dos debates (Atos 18: 1- 4; Atos 5: 12b; Atos 6: 8- 9) e das orações (Atos 3: 1; I Ts 5: 17; Lc 18: 1; Jr 33: 3; Jr 29: 11- 13; I Co 2: 9).
 Provavelmente está reunião também aconteceu em uma casa (Atos 1: 13- 14; Atos 12: 1- 5 e 11- 12). A discussão estava acirrada, todos falavam e gritavam ao mesmo tempo (Ef 4: 31; Pv 10: 19; Ec 5: 1- 2; Mt 6: 6- 8), foi quando Pedro tomou a palavra (I Co 14: 26- 40; Sl 144: 15; Jo 14: 26). Pedro tinha autoridade para intervir (Jo 21: 15- 17; Jr 3: 15; Jo 15: 16; I Jo 4: 19; Jr 31: 3). Pedro levanta um assunto que anos antes tinha gerado uma grande polemica (Atos 11: 1- 3; Jo 7: 19- 22; Atos 6: 14; Rm 2: 17- 29). O assunto era o mesmo (Atos 10: 9- 28; Atos 7: 51; Jo 3: 16). O problema dos fariseus não era a circuncisão, mas sim os gentios (Mt 23: 23; Gl 2: 1- 3; Mt 11: 28- 30).

Circuncisão era uma artimanha sutil (Atos 15: 24; II Co 2: 10- 11; Ef 4: 27; I Pd 5: 8; II Co 11: 14; Jd 12; Pv 6: 12- 13; Mc 13: 37), para aprisionar os gentios na lei (Gl 5: 1- 2; Gl 2: 5; Jo 8: 36). Entre todos que estavam naquele local; apóstolos, e anciãos, Pedro foi único escolhido pelo Senhor Jesus para romper as portas do inferno (Mt 16: 13- 18; Os 13: 14; I Co 15: 19- 55; Is 25: 6- 9; I Ts 4: 13- 17; Mt 25: 1- 6; Ap 22: 12). Os gentios não tinham acesso à salvação (Mt 10: 5- 6; Mt 15: 21- 24; Jo 4: 1- 22; Mt 1: 2- 16; Jo 4: 23- 26; Ap 3: 20) e nem ao Espírito Santo (Jo 14: 15- 16; Atos 1: 3- 5; Atos 2: 1- 4). O mundo dos gentios era das trevas (Ap 12: 7- 9; Is 60: 1- 2; Ap 12: 10; Jo 12: 31- 32; I Jo 2: 1- 2) e poder estava nas mãos de Satanás (Atos 26: 9- 18). Os planos de Deus não deixavam os gentios de fora da salvação (Jr 29: 11; Gn 3: 1- 15; Is 7: 14- 31; Is 62: 2; Lc 1: 26- 31; Lc 2: 1- 32; Fp 2: 9- 11; Atos 16: 31). Os gentios eram o alvo do evangelho de Cristo (Gl 3: 8; Mt 12: 15- 21; Ag 2: 6- 7ª; Jo 3: 16).

ATOS 15: 8- Deus que conhece os corações, lhes deu testemunho, concedendo- lhes o Espírito Santo, assim como a nós.

 A palavra de Pedro da- nos a entender, que a salvação dos gentios não dependia da lei, mas sim do coração de cada um deles (Dt 6: 4- 6; Rm 10: 8- 12; Jo 14: 23- 26; II Co 3: 3). A salvação é uma dádiva de Deus (Ez 36: 26- 27; Atos 2: 37- 39; Pv 23: 26; Sl 51: 17). A única coisa que o homem precisa para tomar posse da salvação (Lc 3: 6; I Tm 2: 1- 4; Sl 37: 9); encontra- se no seu próprio coração (Dt 30: 14; Rm 10: 9; I Tm 2: 5). O coração do homem só Deus conhece (I Sm 16: 7; I Cr 28: 9; Atos 10: 19- 20; Jr 23: 24). Os judeus consideravam os gentios impuros e imundos (Atos 10: 21- 28; Gl 2: 11- 13; Atos 13: 44- 46), e boa parte da igreja ainda não tinha siso liberta disso (Gl 2: 13- 14; I Co 15: 33; Atos 15: 5; Gl 2: 1- 5). Pedro precisou passar por este processo de libertação (Lc 22: 32b; Atos 10: 9- 28; Gl 2: 11- 12). Deus concedeu aos gentios o Espírito Santo (Jl 2: 28- 29; Gl 3: 7- 14; Ef 2: 1- 18; Gl 3: 27- 28; I Co 12: 12- 13; II Pd 3: 15- 18). O Espírito Santo foi dado como testemunho de que eles tinham alcançados a salvação (Atos 5: 32; Atos 11: 15- 17; Atos 2: 1- 4; Atos 10: 44- 45; Jo 14: 15- 16; Jo 16: 7; Atos 1: 4- 5; Ez 39: 29; Jl 2: 28- 29). O Espírito Santo é o testemunho que vem da parte do Senhor Jesus (Jo 7: 37- 39; Atos 2: 37- 39; Atos 5: 32; Atos 2: 1- 4), que te diz: Você é um salvo em Cristo Jesus (Rm 10: 11- 13). Jesus marcou você (Ef 1: 13- 14); agora você pertence a ele (II Pd 2: 3- 10). O Espírito Santo quando vem fazer morada no coração daqueles que aceitam Jesus (I Co 3: 16), ele vêm com tudo (Mt 12: 28- 29; Mc 5: 1- 13; II Pd 2: 20- 22; Mt 12: 43- 45; Mc 14: 38). Ele não deixa nada do lado de fora. Ou seja, ele não deixa a sua bagagem do lado de fora da casa (Jr 23: 24b; Ex 40: 34; II Co 6: 16; I Co 10: 14- 21; Is 44: 8- 20; I Co 4- 10). Com o Espírito Santo vem o poder (Atos 1: 8; Mq 3: 8), os dons ministeriais (Ef 4: 7- 11; I Co 12: 27- 31; Rm 12: 4- 8), e os dons espirituais (I Co 12: 8- 13; Jl 2: 28; I Co 14: 20; I Co 13: 11). A comunhão do crente com o Espírito Santo (Is 40: 13- 14; II Sm 23: 1- 2; Mt 12: 31- 32; Tg 4: 4- 5; Ef 4: 27- 30; Mq 2: 7; I Ts 5: 19; Lm 1: 16; Mc 14: 38) vai faze- lo adquirir o dom necessário para obra que Deus tem em sua vida (Co 12: 4- 7; Mt 25: 14- 25; Jl 2: 28; Lc 17: 5- 10). 

ATOS 15: 9- E não fez distinção alguma entre nós e eles, purificando- lhes pela fé o coração.

Deus não faz acepção de pessoas (Dt 10: 17; Atos 8: 14- 20; Ag 2: 7- 8; Is 45: 7; Is 40: 21- 23; Rm 11: 33- 36). É o que Pedro esta dizendo: O mesmo Espírito (Jo 14: 15- 16), com o mesmo poder (Rm 15: 18- 19; Sl 105: 4; Ex 33: 12- 15), com os mesmos dons (Ef 4: 7- 8; Atos 2: 37- 37- 38; Atos 8: 14- 20) veio também sobre os gentios (Atos 20: 17-28; I Co 12: 1- 13; Lc 4: 18- 19; Ef 4: 9- 11;). Deus na fez distinção entre a igreja que nasceu em Jerusalém, e a igreja que nasceu em Cesaréia (Atos 10: 1) na casa de Cornélio (I Co 12: 14; Atos 10: 2- 4; Rm 2: 11- 15). Para receber a salvação e o Espírito Santo; basta o pecador produzir arrependimento que ele tem os seus pecados perdoados (Lc 3: 1- 8; Atos 2: 38; Atos 8: 26- 38; Atos 10: 44- 48; Atos 16: 1- 33; Mc 16: 15- 16; Mt 28: 19; Jo 14: 23). No momento que o pecador se arrepende (Atos 2: 37; II Sm 11: 1- 17; II Sm 12: 1- 13; Lc 22: 54- 62; Jo 21: 15- 17), ele tem os pecados perdoados (Sl 51: 17; Is 43: 25; Is 38: 17; Mq 7: 19; Sl 32: 1). É automático, no mesmo instante o Espírito Santo passa a fazer morada em seu espírito (Ef 1: 13; I Co 3: 16 Lc 1: 46- 47; Is 26: 9; Hb 4: 12; Jó 12: 7- 10; I Ts 5: 23; Zc 12: 1; Nm 16: 22; Hb 12: 9; I Co 15: 45- 49; Ec 12: 1- 7; Lc 12: 13- 20; Tg 5: 19- 20).

Na casa de Cornélio Deus abriu as portas para os gentios (Atos 15: 7; Is 42: 1- 6; Mt 12: 16- 21), purificando- lhes pela fé o coração (Hb 11: 6; II Co 5: 7; II Co 4: 18; Cl 1: 15- 22; Jo 3: 16; Jo 11: 40; Jo 3: 16). Como se deu isso? Já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábua de pedra, mas nas tábuas de carne do coração (II Co 3: 3; Ez 36: 26- 27). O derramar na casa de Cornélio (Atos 10: 44- 45; Atos 11: 15- 16; Atos 1: 3- 5) aconteceu após Pedro pregar a salvação através da fé Jesus Cristo (Atos 10: 36- 43; Is 53: 1- 12; Rm 5: 1- 21; Atos 4: 8- 12; Fp 2: 9- 11). A fé em Jesus Cristo é a porta de entrada do Espírito Santo na vida do pecador arrependido (Ef 1: 13; Atos 2: 37- 39; Sl 51: 17; Atos 4: 24- 31). Quando o Espírito Santo chega às coisas começam a mudar (Mt 12: 28- 29; I Jo 4: 4; Jz 14: 5- 6; I Sm 17: 20- 51). O Espírito Santo limpa a casa (Mt 12: 43- 44; Mc 5: 1- 20; II Pd 2: 20- 22; Mt 12: 45) e passa a ensinar o novo convertido (Jo 14: 26; Hb 8: 11; Is 48: 17; Is 54: 13; Jo 4: 24).

ATOS 15: 10- Então, porque agora tentais a Deus, impondo aos discipulos um jugo que nem nossos antepassados e nem nós conseguimos suportar?

A lei teve a sua importância na vida do judeu, mas depois da chegada do Messias ela se tornou um jugo pesado (Gl 3: 22- 25; Rm 10: 4- 10; Jo 3: 16; II Co 3: 3- 17; Atos 15: 28- 29). A observância da lei com as suas ordenanças é uma rejeição a graça (Gl 5: 2; Ef 2: 1- 9; Lc 23: 39- 43; Jo 9: 35- 38; Jo 4: 15- 24). O desejo dos fariseus em impor a circuncisão na doutrina da igreja, era uma obra de Satanás (Gl 5: 1; Tg 4: 27; I Co 5: 8; II Co 2: 11). Satanás usa de artimanhas para levar o crente a tentar a Deus (Lc 4: 9- 12; Gl 3: 1- 3; Rm 8: 1- 8; II Co 3: 6- 8). A lei não serviu para libertar o homem do pecado, mas sim faze- lo conhecer o pecado (Rm 7: 7; Rm 3: 20; Gl 3: 19; Gn 22: 15- 17; Gl 3: 16; Mt 11: 13; Jo 1: 17; Ap 1: 18- 19; Ef 1: 13). A lei com suas ordenanças são pesadas de mais (Mt 11: 28- 30; II Co 9: 17; Cl 2: 16- 17; Rm 14: 1- 17; Jo 8: 36) impossível de suportar (Tg 2: 10; I Jo 2: 1- 2; Mt 11: 28- 30). A lei não liberta o homem do pecado (Tg 2: 11- 12; Jo 8: 31- 36; Rm 13: 8). Se a lei com suas ordenanças pudessem salvar o homem, Deus não precisaria enviar seu filho Jesus (Is 62: 2; Lc 1: 26- 31; Jo 3: 16), o Cristo (Jo 4: 25; Gl 3: 20- 21; Hb 8: 1- 13; I Tm 2: 5). O pecado separou o homem de Deus (Gn 3: 1- 23; Is 59: 1- 2; Lv 20: 7 e 23; I Pd 2: 10). Com a separação, o homem teve morte espiritual (Rm 5: 12; Tg 1: 13- 15; I Co 10: 12; Mc 14: 38).

 Deus é Espírito (Jo 4: 24a; II Co 3: 17a; Hb 12: Jr 23: 23- 24; Sl 139: 7- 10; Hb 12: 6- 9; Sl 139: 11- 18), e o homem para ter comunhão com ele, somente através do Espírito Santo (Rm 8: 1- 27; Jo 3: 1- 12; Gl 5: 16- 25). E como ele vai fazer isso, se o homem não tem vida em espírito? (Jo 4: 23- 24; I Co 15: 45- 49; Gl 6: 1- 2; I Co 2: 9- 16). O sacrifício de Jesus na cruz (I Co 1: 18; Ef 2: 11- 16; Cl 1: 15- 22; I Pd 2: 3- 10) vivifica o espírito daqueles que o aceitam (Cl 2: 13; Ef 2: 1; I Co 15: 45- 49; I Co 14: 14- 15; Zc 12: 1; Lc 1: 46- 47) e trás o Espírito Santo para habitar nele (Ef 2: 18- 22; Ef 1: 13; I Co 3: 16; I Co 6: 19- 20; I Co 14: 26- 33; Zc 12: 1; I Co 13: 11; I Co 14: 20; II Pd 3: 15- 18). O perdão do pecado em Cristo Jesus (Is 53: 1- 12; Cl 2: 13- 15; Cl 3: 13) trás um novo nascimento (II Co 5: 17; Ef 4: 22- 32; Mt 18: 23- 34; Mt 6: 14- 15; II Co 2: 10- 11; Hb 12: 14- 15; Rm 12: 18- 21; Ef 6: 10- 12; Mt 5: 38- 48) e aproxima o homem de Deus (Ef 2: 11- 18; I Pd 2: 3- 10; Hb 4: 14- 16; Hb 10: 19- 21). Coisa que a lei e suas ordenanças não podem fazer (Hb 7: 22- 28; Gl 3: 22- 25; Jo 8: 36).

ATOS 15: 11- Mas cremos que somos salvos pela graça do Senhor Jesus, da mesma forma que eles também foram.

Acreditar que a salvação é pela graça é fundamental (Ef 2: 1- 8; Rm 5: 12- 18; Is 53: 1- 12; Atos 8: 27- 35; Ap 5: 1- 8a; Ap 20: 15; Atos 8: 36- 38; Atos 10: 19- 48; Atos 16: 1- 33; Mc 16: 16; Mt 28: 18 19; Mt 7: 24- 27). Devemos seguir os exemplos da igreja primitiva (Jr 6: 16; Ap 2: 4; Is 38: 1- 3; Sl 51: 17; Is 38: 4- 5; Lm 3: 22). A igreja de Jerusalém teve o privilégio de receber a salvação e o Espírito Santo primeiro que os gentios (Atos 3: 25- 26; Jo 4: 22; Atos 2: 1- 4), mas não pelas obras (Rm 4: 1- 11; Gl 3: 8- 14; Ef 1: 13; Gl 3: 1- 3; Jo 4: 20- 23; Atos 13: 22; Sl 101: 6), mas sim pela graça (Dt 32: 8- 12; I Co 10: 14- 21; Dt 32: 15- 17; II Co 6: 14- 18). Graça que veio primeiro aos Patriarcas (Dt 4: 32- 37; Jr 31: 3; Ex 4: 21- 22; Os 11: 1; Cl 1: 15; Mt 2: 1- 15).  Os judeus foram participantes da graça (Gn 3: 1- 15; Jo 1: 17; Rm 5: 1- 21). A graça na verdade tinha como alvo os gentios (Gl 3: 8; Gn 12: 1- 3; Mt 24: 14). Nem todos nasceram judeus, mas todos nasceram gentios (Rm 5: 11- 14; Gn 3: 22- 23; Is 59: 1- 2). Antes de Noé todos eram gentios (Gn 6: 1- 7; Gn 1: 26a; Gn 6: 8; Gn 9: 1- 9; Gn 10: 1; Gn 11: 10- 31; Gn 12: 1- 4), Abraão nasceu gentio (Gn 11: 26- 31; Gn 12: 1). Deus escolheu a Abraão, para que de seu descendente (Gn 22: 1- 17; Gl 3: 16; II Pd 5: 17) gerar um povo separado (Lv 20: 7 e 23; I Pd 1: 16; I Pd 2: 3-10) e desse povo levantar o Cristo (Mt 1: 2- 16; Jo 12: 31- 32; Jo 3: 14), o Salvador de todos aqueles que nele crer (Jo 3: 15- 16; Rm 10: 8- 13; Atos 16: 31).

Jesus Cristo é o único Salvador para todos aqueles que nele crêem (Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11; Jo 14: 6; I Tm 2: 5), independente de ser judeu ou gentio (Gl 3: 27- 29; Rm 10: 8- 12; I Co 12: 12- 13; Ef 2: 17- 18). A salvação pela graça trouxe para os judeus o Espírito Santo (Atos 2: 1- 4; Ez 39: 29; Zc 12: 10a). Quando a salvação alcançou os gentios (Atos 15: 7; Atos 10: 34- 36; Rm 1: 16- 17), Deus os selou (Jl 2: 28- 29; Atos 10: 44- 46; Ef 1: 13), com mesmo selo que anos antes havia selado os judeus em Jerusalém (Atos 4: 1- 4; Atos 11: 1- 17; Atos 5: 32; Jo 14: 15- 16; Jo 16: 7; Atos 1: 3- 5). Agora, o Espírito Santo habita no crente (II Co 6: 16; Ef 2: 11- 22; I Co 6: 20; I Co 3: 16). O Senhor fez do crente reino e sacerdotes (Ap 1: 4- 6; II Pd 2: 9; Ap 5: 1- 10; I Pd 2: 10). Reino por quê? Por que agora o Senhor esta reinando nele (II Co 6: 16; Lc 17: 20- 21; Rm 14: 17; Ef 5: 18- 20). E sacerdote por quê? Por que agora, é o crente que está entre Deus e o pecador (Ez 22: 30; Lc 15: 1- 7; Pv 11: 30; Tg 5: 19- 20; II Cr 29: 11). Se o crente tem o Senhor reinando em sua vida através do Espírito Santo, o que ele precisa para fazer a obra?  (Atos 1: 8; Ef 4: 8; I Co 12: 31; Mt 25: 1- 29; I Co 12: 1- 30; Lc 17: 5- 10; Ef 4: 7- 11; Atos 6: 1- 6; Atos 8: 5- 8 e 26- 40; Atos 21: 7- 8; II Tm 4: 1- 5; I Tm 4: 6- 14; Atos 13: 1- 3; I Tm 5: 22a).

O parecer de Tiago

ATOS 15: 12- Toda multidão ficou em silencio, e passou a ouvir Barnabé e Paulo descrevendo quantos sinais e maravilhas, Deus tinha feito por meio deles entre os gentios.

Diante da verdade a multidão se cala (Ec 3: 7b; I Co 14: 13 e 28). Não tem como contestar a obra do Espírito Santo (II Pd 1: 20- 21; Jo 19: 22; Ap 22: 19; Ap 20: 11- 15). O Espírito Santo direcionou a obra para os gentios (Atos 15: 7; Atos 10: 9- 45; Atos 11: 1; Gl 2: 8; Atos 26: 13- 18; Atos 13: 44- 48; Atos 18: 6- 11; I Co 9: 1- 2; Atos 18: 1- 5; Rm 11: 13; I Co 2: 2; I Co 1: 18). Não estava naquele local somente os apóstolos e anciãos, mas texto diz que havia uma multidão (Atos 1: 15; Atos 2: 41; Atos 4: 4; Atos 6: 7; Ap 22: 17). A igreja não era somente os apóstolo e anciãos, mas um corpo com muitos membros (I Co 12: 12- 14; Rm 12: 5; I Co 12: 26; Is 35: 3- 4; Ed 10: 4; Jó 4: 3- 4). A igreja estava reunida com todos os seus membros (Sl 122: 1; Sl 133: 1; Atos 2: 1; Atos 12: 5 e 11- 12). A questão a ser discutida não envolvia somente os apóstolos e anciãos, mas sim o corpo todo (Mt 16: 18- 19; Mt 18: 15- 20; I Co 5: 1- 2; I Co 6: 1- 6). Paulo e Barnabé descrevem de como Deus se fez presente entre os gentios, operando pelas suas mãos com sinais e maravilhas (Atos 13: 4- 12; Atos 14: 8- 11; Atos 19: 11- 12; Rm 15: 18- 19). Se houvesse necessidade da circuncisão para a salvação, Deus não teria operado entre os gentios (II Co 3: 6- 18; Jo 6: 63; Rm 2: 13- 15; Ez 36: 26- 27). O uso da circuncisão na doutrina da igreja era coisa de homem (Atos 15: 1 e 24- 29; Atos 16: 1- 4; I Tm 1: 1- 5; II Tm 3: 10- 17; II Tm 4: 1- 5; I Tm 4: 6- 14; I Jo 2: 27). Existem muitas coisas que estão introduzidas na doutrina da igreja de hoje que não edifica em nada a vida do crente, só atrapalha e impede o crescimento (Mt 15: 1- 9; I Is 29: 13; Cl 2: 4- 23; II Pd 3: 15- 18).

ATOS 15: 13- Depois que eles terminaram, Tiago falou: Irmãos escutai- me:

Entre os discipulos que andaram com o Senhor Jesus encontramos três com o nome de Tiago: Tiago irmão do Senhor (Mt 13: 53- 55; Gl 1: 18- 19; Ef 4: 7- 11; Atos 14: 14), e os outros dois encontram- se entre os escolhidos pelo próprio Senhor Jesus para o apostolado (Mt 10: 1). São eles: Tiago filho de Zebedeu (Mt 10: 2; Atos 12: 1- 2; Jo 16: 1- 2; Sl 116: 15) irmão do apóstolo João (Mt 10: 1- 2; Ap 1: 1- 4; I Jo 1: 1; Ap 19: 11- 13; Jo 1: 1- 28; Mt 3: 1- 4; Mt 14: 1- 12), e Tiago filho de Alfeu (Mt 10: 3; Atos 12: 11- 17; I Co 15: 1- 7). Tiago filho de Alfeu foi um dos líderes da igreja neste tempo (Gl 2: 9; Rm 12: 6- 8; Gl 2: 11- 12; Atos 15: 5; Atos 11: 1- 3; Gl 2: 5; Tg 4: 7; Atos 15: 14- 21; II Co 3: 6- 17; Mt 11: 28- 30). Escreveu a carta (Tg 1: 1; Mt 10: 2- 5; Amós 8: 11; Jo 4: 1- 39; Atos 8: 14- 17; Mt 4: 12- 16; Atos 10: 1- 45). Voltamos à reunião: Primeiro falou Pedro (Atos 15: 7- 11), depois Barnabé e Paulo (Atos 15: 12), e no final Tiago toma a palavra (Pv 11: 14; Jr 23: 28- 29; Mq 3: 8; Hb 4: 12; Sl 149: 6; II Tm 4: 2- 4). Tiago levanta voz e manda a multidão fazer silencio para que possa escuta- lo (Ap 3: 6; Atos 15: 28; Ap 22: 17; Is 55: 1- 2a; Lc 22: 36; Atos 6: 12- 17). A multidão não tinha acesso à palavra como nós temos hoje (I Sm 3: 1b; Sl 74: 9; Is 29: 11; Lc 10: 23- 24; Dt 29: 29; I Co 2: 9; Ap Jr 3: 33), por isso a importância de escutar o que ele iria dizer (Pv 25: 11; Pv 15: 23; Pv 14: 23).

Ler tem a mesma importância que o ouvir (Sl 1: 1- 2; Js 1: 8; Is 55: 11; Jo 19: 22b; Hb 11: 6; Ap 22: 18- 19; II Pd 1: 19- 21; Sl 119: 11; Pv 9: 10). Tenho pra mim que ler edifica bem mais que o ouvir (Dt 17: 18- 20; Is 34: 16). Embora a fé venha pelo ouvir (Rm 10: 17), o que você ouve; você consegue guardar muito pouco. O que você ouviu e guardou; na sua mente está guardada (Jo 14: 26; Jo 6: 63; I Co 2: 15- 16), mas aquilo que você deixou de ouvir, você perdeu (Lc 8: 5; Is 29: 13a; Ez 33: 31). A palavra escrita (Jo 19: 22; Sl 119: 105; Jó 29: 3; II Tm 3: 14- 15; Is 30: 21; Jó 14: 7- 9), vivificada pelo Espírito Santo (II Co 3: 6; Jo 6: 63; Jo 7: 16- 17) é uma luz de uma potencia sobrenatural, capaz de iluminar a própria luz (Sl 36: 9; II Co 4: 6; Gn 1: 3; Jo 8: 12; Jo 5: 39). A palavra vivificada pelo o Espírito Santo é a única que separa a alma do espírito (Hb 14: 12; Lc 1: 46- 47; Is 26: 9; Jó 12: 7- 10; I Ts 5: 23), pois é o Espírito Santo que revela o que está oculto e escondido (Dn 2: 2: 22; Sl 18: 28; Sl 112: 4). Por isso entendo que a Bíblia é o único livro que você lê (Atos 8: 27- 28: II Co 3: 6- 8; Atos 8; 29- 38) que edifica mais que ouvir (Sl 119: 105; Atos 10: 19- 48; Atos 16: 6- 33; Mt 28: 19; Mc 16: 16; Jo 12: 47- 48; Ap 20: 15). O que você está esperando para comprar uma? (Is 55: 2; Lc 22: 36; Hb 4: 12; Ef 6: 10- 17; Sl 122: 1; Sl 149: 6). Observação: O culto não é um lugar ideal para ler a Bíblia (Rm 12: 1; Rm 10: 8; Sl 119: 11), mas sim para acompanhar a leitura, e ouvir a palavra de Deus (Atos 13: 44; Ap 3: 6; Mt 7: 24- 27; I Co 1: 21).

ATOS 15: 14- Simão expôs como Deus, primeiramente, visitou os gentios, para construir dentre eles um povo para seu nome.

Tiago trás o testemunho de Pedro, quando este enviado pelo Espírito Santo pregou na casa de Cornélio (Atos 10: 19- 36; Ef 2: 11- 18; Pd 2: 9- 10; Ef 1: 13; Atos 5: 32). E neste dia o Espírito Santo foi derramado sobre todos que estavam na casa (Atos 10: 44- 45; Atos 11: 15- 17; Atos 1: 3- 5; Atos 2: 1- 4; Ef 4: 7- 8; I Co 12: 1- 13; Ef 4: 9; I Pd 3: 19- 21; Ef 4: 10; I Pd 3: 22; Ef 4: 11- 14; Mt 28: 18- 19; Ap 22: 12). Deus visitou os gentios comenta o apóstolo Tiago: Deus visitou os gentios como? Na cidade, nos bairros, na rua, no condomínio? Não. Na casa (Ap 3: 20; Jo 10: 1- 2; Pv 23: 26). Deus não só visitou os gentios como ele resolveu habitar nele (II Co 3: 3; Atos 7: 48; I Co 3: 16; Sl 91: 7- 9; Sl 139: 7; Jo 14: 23). No meio dos gentios, Deus começou a construir um povo (Atos 10: 1- 5; Mt 16: 13- 19; Atos 10: 19- 29; Jo 10: 16; Atos 10: 30- 33; Jo 21: 15- 17; Atos 10: 34- 45; I Pd 2: 10). Que povo é este? Quem é esse povo? Este povo é povo, que vai morar no céu (II Co 11: 2; Ap 19: 1- 9; Jo 3: 29- 30). A igreja de Cristo (Mt 16: 13- 19; I Co 12: 1- 14; Mq 4: 1- 2; Atos 1: 8; Atos 8: 1; Atos 11: 19- 21) é este povo (I Pd 2: 10; Jo 17: 14; Jo 15: 19; Nm 11: 4a;Tg 4: 4- 5). Israel também é este povo (Hb 11: 8- 13; Rm 11: 25- 32; II Ts 2: 1- 7; I Ts 4: 13- 17; II Ts 2: 8- 9; Mc 13: 19; Ap 14: 1; Ap 7: 1- 17; Ap 5: 1- 8; Ap 20: 15). Deus visitou os gentios para construir um povo para seu nome (Gl 3: 8). Israel é esse povo (Ez 39: 29; Ez 36: 25- 27; Atos 3: 25- 26). Antes de Abraão receber o chamado, ele era gentio (Gn 12: 1). Israel foi gerado do meio dos gentios (Gn 12: 1; Lv 20: 7 e 23- 24; Dt 32: 8), para salvar os gentios (Rm 5: 12- 21; Jo 4: 22- 26; Mt 1: 2- 16; Jo 3: 16; Atos 16: 31).

ATOS 15: 15- Concordam com isso a palavra dos profetas, conforme está escrito:

Moisés foi o primeiro a profetizar chegada do Salvador (Dt 18: 15- 19; Atos 3: 12- 23; Mt 12: 47- 48) e o primeiro a escrever tudo que judeus e gentios precisavam saber (Gn 3: 1- 6; Rm 5: 12; Gn 3: 7- 19; Rm 5: 13- 14; Jo 1: 17; Rm 5: 15- 21). A palavra dos profetas concordava com o testemunho de Pedro, ou seja, o que aconteceu na casa de Cornélio foi cumprimento da palavra pregada pelos profetas que vieram antes (Atos 3: 24- 25; IS 42: 1- 6; Is 60: 1- 3; Ap 21: 24; Ef 5: 14; Rm 13: 11- 12; Ef 6: 10- 17; Sl 149: 6; II Tm 4: 2- 4; II Tm 2: 15). Tiago usa como base a palavra dos profetas (Is 34: 16; Atos 1: 15- 22; Jo 13: 16- 18; Sl 41: 9; Jo 13: 22- 24; Lc 22: 21; Jo 13: 25- 26; Mt 26: 23) para resolver a questão doutrinária que estava em discussão (Tt 1: 10- 14; I Tm 1: 3- 8; Tg 2: 10; Rm 10: 4).  A palavra escrita pelos profetas não pode ser questionada (II Pd 1: 19- 21; Sl 139: 7; Mq 3: 8). O plano de salvação veio antes da lei (Gn 3: 1- 15; Rm 5: 12; Gn 3: 16- 19; Rm 5: 13- 14; Jo 1: 17; Rm 5: 15- 21), e está acima dela (I Pd 1: 18- 20; Lc 10: 18; Jo 17: 1- 5; Cl 1: 15; Ap 3: 14; Jo 3: 16). As doutrinas não podem estar acima do plano de salvação (Jo 9: 1- 16a; Rm 10: 4; Mt 12: 8; Jo 9: 35- 37; I Tm 2: 5; Jo 9: 38- 39; Jo 14: 6; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11). Vem do Senhor (Jo 13: 13) a última palavra (Mt 24: 35). A palavra do Senhor não pode ser questionada (Jo 7: 16- 17); é ela quem deve finalizar qualquer discussão dentro da igreja (Jo 12: 47- 48; Is 23: 29; Jo 6: 63).

ATOS 15: 16- Depois disso voltarei reedificarei a tenda caída de Davi, reconstruirei as suas ruínas e as restaurarei,

Israel estava caído, o reino tinha se dividido e as tribos se dispersaram (Os 14: 1; I Rs 12: 1- 16; I Rs 11: 1- 13; I Rs 12: 17- 20; Gn 49: 1- 11; Amós 9: 11; Mt 19: 1- 10; Lc 15: 4; Sl 23: 1; Jo 10: 1- 11). Havia fome sede sobre a terra: Não estamos falando de fome de pão (Gn 3: 19) e nem de sede de água (Gn 21: 14), mas fome e sede de ouvir a palavra de Deus (Lm 4: 4; Amós 8: 11; Jo 4: 1- 29; Mt 12: 14- 16; Atos 8: 14- 17; Atos 10: 19- 45; Mt 16: 13- 18; Jo 21: 15- 17). Quatro séculos tinham- se passado sem que uma gota de orvalho caísse do céu (Sl 74: 9; Dt 32: 1- 2; Ml 1: 1- 5; Mt 12: 9- 21). A salvação arruma a casa (II Co 5: 17; Mt 6: 14; Mt 5: 38- 48; Rm 12: 18- 19; Hb 12: 14- 15; Rm 12: 20- 21) e levanta o que está caído (Sl 37: 23- 24; Pv 24: 26a; Sl 37: 25; Sl 40: 1). Da raiz de Jessé (Is 11: 1), da descendência de Davi (Is 55: 3; Zc 12: 8; Mt 9: 27- 30; II Sm 11: 1- 17; II Sm 12: 1- 13; Sl 51: 10- 17; I Jo 2: 1- 2; Mt 3: 1- 8; Atos 2: 37- 38; Zc 12: 10a; Atos 15: 17) saiu a Salvação de toda humanidade (IS 55: 4; Sl 67: 1- 2; Sl 50: 23; Ap 22: 17; Jo 7: 37; Jo 1: 1; Ap 19: 13; Ex 16: 31; Ez 3: 1- 3; Jo 6: 31- 35), começando por Israel (II Sm 7: 12- 16; Sl 89: 36; Is 11: 11- 10; Jr 23: 5; Sl 89: 38; Atos 4: 24- 26; Mt 23: 37; Jr 23: 6; Atos 3: 26; Gl 3: 16). Antes de a salvação alcançar os gentios, foi preciso que a salvação alcançasse toda a casa de Israel (Mt 10: 1- 7; Jo 12: 32; Ez 39: 29; Jo 7: 37- 39; Atos 1: 3- 5; Atos 2: 1- 4; Sl 98: 1- 3). A salvação é o perdão do pecado (Is 59: 1- 2; Ez 39: 29; Ez 36: 25- 27; Atos 1: 8; Is 53: 1- 12; Rm 1: 16).

 Israel agora livre do pecado (Ez 36: 25; I Co 10: 14; I Jo 5: 21), e com o coração trocado (Ez 36: 26; Atos 2: 37; Jo 14: 23), esta apto para receber do céu o Espírito Santo (Ez 36: 27; Atos 4: 8- 31; Ap 3: 20) para habitar para sempre em seus corações (Jo 14: 15- 16; Ez 39: 29; II Co 3: 3). O Espírito Santo antes de Jesus, não era uma dádiva de Deus para todo o povo, mas sim, somente para reis (I Sm 10: 1- 10; I Sm 16: 13; Sl 139: 7; Sl 51: 11), sacerdotes e profetas (Dt 15: 15- 18; Nm 11: 17- 29; Ex 31: 1- 3; I Sm 19: 12- 20). Antes de Deus trocar o coração dos gentios, Deus precisou mudar o coração de Israel (Ez 36: 25- 27; Atos 2: 1- 4; Jo 14: 26). Antes de Deus mudar o coração dos seus (Atos 16: 31; Is 54: 13), ele que mudar primeiro o seu (Mt 6: 14- 15; Hb 12: 14- 15). Como você quer concertar o coração dos seus (Mt 19: 5; Pv 17: 6; Amós 3: 3; I Co 7: 3; Pv 14: 1), se você não deixa Deus concertar seu? (Pv 23: 26; Rm 10: 8- 10; Ap 3: 20; Rm 10: 11- 13). Antes de Deus mudar o coração dos gentios (Mt 12: 21), Deus primeiro precisou mudar o coração de Israel (Atos 3: 25- 26). Israel era só ruína, e precisava ser restaurado (Ag 2: 5- 9; Lc 4: 14- 21; Zc 9: 9; Mt 21: 1- 9; Zc 3: 1; I Co 1: 18- 24; Ef 2: 1- 16; Cl 2: 13- 15; Cl 1: 15- 20; Fp 2: 9- 11). Deus que reconstruir as suas ruínas e restaurar a sua família (Atos 16: 31; Is 49: 15- 17). Voltamos a Israel: Depois de restaurado, agora como igreja de Cristo (Mt 10: 1; Mt 16: 13- 18), Israel saiu pelo mundo para reconstruir as ruínas (Atos 1: 8; Mc 16: 15- 16; Atos 8: 1- 8; Atos 11: 19- 21; Mt 24: 14; Jo 3: 16), e restaurar o tabernáculo dos gentios (Gn 1: 26; Gl 3: 8; Gn 3: 20; Atos 7: 1- 3 e 48; Ef 2: 11- 22; I Co 3: 16; Ef 1: 13) que estava caído (Is 59: 1- 2; Rm 5: 12; Gn 3: 1- 19; Rm 5: 13- 21). Depois de restaurar a sua vida, seu lar, e sua família, ele vai usar você para reconstruir ruínas, e restaurar outras famílias (Is 58: 11- 12; Jr 1: 7; Amós 3: 8).  

ATOS 15: 17- Para que o restante dos homens busque o Senhor, todos os gentios sobre os quais tem sido invocado o meu nome, diz o Senhor que faz todas estas coisas,
 A reedificação de Israel através da salvação por um único sacrifício (Hb 7: 22- 27; Is 53: 1- 12; Rm 5: 12- 21) trouxe a presença do Espírito Santo em todos os convertidos (Atos 2: 1- 4 e 39- 41; Atos 4: 4 e 24- 31). A reedificação de Israel tinha um alvo (Amós 9: 11- 12; Ag 2: 6- 7; Gn 49: 9- 10; Dt 15: 18- 19; Atos 3: 22; Mt 7: 24- 27). E qual era o alvo? O alvo era todos os homens (Atos 3: 23- 25; I Tm 2: 1- 5; Mq 4: 1- 2; Mc 16: 5; II Tm 2: 1- 5). Não só os homens de Israel, mas homens de todas as nações, tribos e línguas (Ap 5: 1- 9; Mt 24: 14; Dn 2: 35; I Sm 17: 50; I Rs 7: 1- 10; I Co 3: 10- 13; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42; Atos 4: 10- 11; Ef 2: 11- 20; I Pd 2: 3- 10; Lm 3: 22- 23). Eu, você; nós somos os gentios mencionados no texto (Hb 4: 7; Sl 95: 6- 7; Jo 10: 16; Atos 2: 39; Ef 1: 13). O nosso tabernáculo antes de conhecermos Jesus estava caído (Rm 5: 12; Ef 2: 1- 3; Tt 3: 3; I Pd 3: 3), e precisava ser restaurado (Rm 5: 15- 20; II Co 5: 17; Ef 4: 17- 30; I Ts 5: 19; Tg 4: 4- 5).

Através da nossa fé em Cristo Jesus (Rm 5: 1; II Co 5: 7; Hb 11: 6), Deus restaurou o nosso tabernáculo (II Co 5: 1- 2; Rm 8: 14- 15; Jo 1: 1- 13; Jo 3: 1- 5; Atos 10: 19- 20 e 44- 48; Atos 8: 29- 38), e colocou o seu Espírito dentro dele (Rm 5: 2- 5; I Co 3: 16; I Co 6: 18- 20; Ef 2: 17- 22). Como ele fez isso? O sangue de Cristo derramado na cruz foi o preço pago pelo meu, o seu, o nosso tabernáculo ter sido restaurado (Cl 2: 13- 15; Ef 2: 11- 17; I Pd 2: 10; I Co 1: 18). O Espírito Santo é o selo que identifica e garante que o tabernáculo foi restaurado (Ef 4: 30; I Co 10: 12; Tg 1: 13- 15; Is 63: 10; II Pd 2: 20- 22; Mt 12: 43- 45). Quem não tem o Espírito Santo, não tem o selo de Deus (Ef 1: 13- 14). E quem não tem o selo, não tem a garantia que tabernáculo foi restaurado (II Co 1: 21- 22). Quem não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele (Rm 8: 9b; Jo 8: 43- 44a). Quem tem o Espírito Santo, tem o selo, e a garantia que é um salvo (II Co 1: 21- 22; Ef 1: 13- 14; Ef 4: 30). Isto é pouco para você? O que Deus pede em troca? O que Deus deseja dos homens, e das mulheres que foram alcançados pela salvação (I Pd 2: 3- 10; II Pd 3: 18), e receberam o Espírito Santo? (Rm 8: 22- 27; Jr 29: 13; Jr 33: 3; I Co 2: 9).

ATOS 15: 18- que são conhecidas desde toda a eternidade.

Entre tantos deuses que existem (Ex 18: 11; Ex 20: 3; Dt 8: 19; Ap 3: 6), há alguns a quem os homens consideram como seu deus (Is 44: 9; II Rs 17: 24- 33; I Rs 16: 21- 24) . Por ignorância os gentios serviam seus ídolos (I Cr 16: 26; Is 44: 18; II Co 4: 4; Is 44; 19- 20), mas quando a porta se abriu (Jo 10: 9; Sl 118: 20; Ef 2: 18; Hb 10: 19- 21; I Jo 2: 1- 2; Hb 7: 22- 27), a verdade chegou (Jo 16: 13- 14; Jo 8: 31- 32; Jo 7: 16- 17; Ap 3: 20). Portanto agora os gentios não podem continuar servindo outros deuses (Jo 17: 17; Sl 119: 105; Sl 115: 4- 17; Is 8: 19; Ec 9: 5; I Sm 28: 1- 19; I Sm 31: 1- 6; Pv 9: 10). Os gentios não estão mais na ignorância (Atos 17: 24- 30; Rm 3: 23- 25), eles sabem que só existe um único Deus (Is 44: 7- 8), e um único Senhor (Jo 13: 13; Fp 2: 9- 11). O Deus de Israel é o único Deus, não há outro (Is 44: 6; Is 45: 5- 7), e Jesus Cristo, o seu filho amado, é o único Senhor (Rm 10: 8- 10; Sl 33: 12; I Pd 2: 3- 10). É o Deus único e verdadeiro quem faz todas as coisas, desde a eternidade (Sl 90: 1- 10; Gn 5: 5; Gn 6: 3; Gn 3: 1- 19; Ec 12: 1- 7). A minha, a sua, a nossa salvação estava preparada antes da fundação do mundo (I Pd 1: 17- 20; Jo 17: 1- 5; Lc 10: 18; Ap 12: 7- 9; Is 14: 12; Ez 28: 13- 15; Is 14: 13- 14; Ap 12: 10; Jó 1: 6- 10; Zc 3: 1- 4; Lc 15: 11- 24; Jó 14: 7- 9; I Jo 2: 1- 2; Atos 7: 55- 56). Com a reedificação do tabernáculo de Davi (Atos 15: 16; Zc 12: 8; Zc 13: 1; Jo 7: 37; Ap 22: 17; Is 55: 1; Mt 10: 5- 8), a porta seu abriu para todos os homens (Amós 9: 11- 12; Atos 15: 7; Mt 16: 13- 18), de todas as tribos, línguas, povos e nações (Ap 5: 1- 9). A salvação dos gentios agora tinha se tornada uma realidade (Mt 12: 14- 21; Is 42: 1- 6). A minha, a sua, a nossa salvação agora é uma realidade (II Co 6: 1- 2; Rm 13: 11- 14; Ef 5: 14- 20; Gl 2: 20).

ATOS 15: 19- Portanto, julgo que não devemos perturbar aqueles que, dentre os gentios, se converteram a Deus,

Tudo que os gentios precisavam saber, agora eles iriam saber (Dt 29: 29; Zc 8: 23; Mq 4: 1- 2). Agora os gentios tinham com quem aprender (Jo 13: 13; Jo 7: 16- 17; Mt 7: 24- 27; Jo 6: 63). Tudo que eles precisavam aprender, agora eles iriam aprender (Mt 4: 12- 16; Is 60: 1- 3; Mt 4: 17; Atos 2: 37- 39; Atos 4: 24- 31; Atos 11: 19- 21; Atos 8: 1). Agora os gentios também tinham quem os ensinasse (Jo 14: 26; Is 48: 17; Is 54: 13; Atos 16: 31). Por que perturbar aqueles quem o Senhor Jesus comprou com o seu sangue? (Jo 10: 14- 16; Atos 20: 28; I Pd 1: 18- 19). Por que perturbar aqueles a quem o Senhor Jesus deu do seu Espírito? (I Co 3: 16; I Co 6: 19- 20; I Pd 2: 3- 5). Por que fazer barulho, e incomodar a morada do Espírito de Deus? (I Co 3: 17; I Pd 1: 16; Tg 4: 4- 5). O Espírito Santo não trabalha com a letra (Mt 23: 1- 3; II Co 3: 6; Mt 23: 3; Rm 2: 17- 29), ele trabalha com a essência (Ap 1: 8; Jo 14: 23; Jo 6: 63; Jo 1: 1- 12).

A Bíblia não é um livro de história (II Tm 4: 1- 5; Tt 1: 14; I Tm 1: 3- 4), ela é palavra de Deus (I Tm 4: 1- 5; Jo 1: 1; I Co 2: 2- 5; Ex 3: 1- 14; Jo 6: 48; Jo 8: 12; Jo 10: 9 e 11; Jo 11: 25; Jo 14: 6; Jo 15: 1- 5; Hb 1: 1- 3). A Bíblia registra a história (Dt 29: 29), pois o conhecimento trás o crescimento (II Pd 3: 15- 18; I Co 13: 1- 12; I Co 15: 45- 59). A Bíblia é a bússola que aponta para Cristo (Gn 3: 15; Is 7: 14; Lc 1: 26- 31; Mt 1: 18- 23). O objetivo da palavra de Deus é ensinar o homem o caminho da salvação (Lc 2: 8- 11 e 25- 32; Is 52: 7; Sl 126: 5- 6). Temos o Espírito Santo (Ef 1: 13), a Bíblia (Hb 4: 12), e os ungidos de Deus para nos ensinar (Ef 4: 7- 11). Temos o suficiente de Deus para seguirmos em direção a terra prometida (Sl 84: 7). Têm muitos em nosso meio, que não estão nem um pouco preocupado em chegar à terra prometida, pois estão gostando do deserto (Ez 33: 31- 32; I Co 10: 12; Tg 1: 13- 15). Já outros estão transitando entre o deserto e o Egito (Tg 4: 4- 5; I Rs 18: 21; Mt 6: 24; Is 30: 1- 2; Is 31: 1- 3). Por trás dos ídolos estão os demônios (Dt 32: 17- 21; Rm 1: 18- 28; I Jo 5: 21; I Co 10: 14); por trás da letra está vida (Jo 6: 63; Tg 1: 22; Mt 7: 24- 27); por trás da palavra está o Espírito (Is 34: 16; II Co 3: 6- 8; Ap 3: 6).

ATOS 15: 20 - Mas escrever- lhes que abstenham das comidas dos ídolos, das imoralidades sexuais, da carne de animais sufocados, e do sangue.

A palavra de Tiago era a palavra de um líder (Gl 2: 9a; Mt 17: 1; Mt 16: 13- 18). Primeiro Pedro tomou a palavra e lembrou que os gentios já tinham recebido a palavra de Deus, e o Espírito Santo (Atos 15: 7; Atos 10: 1- 48; Atos 11: 1- 17). Provavelmente Tiago tinha um papel determinante nas decisões doutrinaria da igreja (Atos 20: 28; Atos 15: 28- 29; Ef 4: 7- 11; Pv 11: 14; Ex 18: 1- 26). A doutrina da igreja determinada por Tiago fica estabelecida como doutrina da igreja gentílica, e não da igreja judaica (Gl 2: 8; Rm 11: 13; II Co 6: 11- 18). Até este dia a igreja ainda era uma ramificação do judaísmo (Atos 3: 1; Atos 10: 28; Atos 11: 2- 3 e 19). Tiago defendia a necessidade da circuncisão na igreja judaica (Gl 2: 11- 12; Atos 11: 19- 27; Atos 13: 1- 4; Atos 14: 25- 26; Atos 15: 1- 4). Veja o que diz Paulo: (Gl 2: 1). E veja o que aconteceu: (Atos 15: 2; Gl 2: 3; Atos 15: 5; Gl 2: 4; Atos 15: 1; Gl 2: 5; Atos 15: 7; Gl 2: 6- 7; Atos 15: 12; Gl 2: 9; Atos 15: 22; Gl 2: 10; Rm 13: 1). O Espírito Santo está no controle da igreja (Atos 15: 28- 29; Atos 20: 28; Atos 8: 29- 40; Jo 3: 8; Jo 23- 24; Sl 101: 6; Atos 13: 22).

 Com esta decisão a igreja gentílica se separou das doutrinas judaicas (Gl 5: 1- 3; Gl 3: 1- 14; I Co 12: 12- 13) e recebeu o ensinamento correto da graça de Cristo (Rm 11: 13; II Pd 3: 15- 18; Ef 2: 1- 9; Rm 5: 11- 21; I Co 2: 2; Atos 16: 31). As doutrinas estabelecidas na assembléia de Jerusalém livraram a igreja do jugo pesado (Rm 8: 28; Mt 11: 28- 30; II Co 3: 17), e trouxe santidade para os gentios (Is 35: 1- 8; Jo 14: 6; I Tm 2: 5; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11). O ídolo rouba a glória de Deus (Is 42: 8; Is 44: 9- 20; Jo 8: 44b; I Co 10: 14; Jo 7: 16- 17). Onde a glória de Deus é roubada, não existe santidade (II Co 6: 11- 17; Rm 1: 18- 27; Ap 14: 8; Ap 17: 4- 5; Os 14: 9). Alguns podem dizer: o texto não esta dizendo: Devemos nos afastar dos ídolos, mas sim da comida dos ídolos (I Jo 5: 21; Zc 13: 1- 2; Ez 44: 23; Mt 19: 30). Deus odeia os ídolos (Dt 32: 15- 21). Por que Deus odeia os ídolos? Por causa do que está por trás deles (Dt 15: 17; I Co 10: 14- 21). A idolatria traz as imoralidades sexuais (Rm 1: 21- 27), o desrespeito com vida (Jó 12: 9- 10a), e com o sangue (Lv 17: 10- 11; I Pd 1: 18- 19; I Co 11: 23- 25). Espiritismo e catolicismo estão dentro deste mesmo contexto (I Sm 15: 23; Sl 115: 4- 17; Is 8: 19; Ec 9: 5; I Sm 28: 1- 19; I Sm 31: 1- 6; Pv 9: 10).

ATOS 15: 21- Porque desde as gerações antigas, Moisés tem em cada cidade os que pregam e os que lêem nas sinagogas todos os sábados.

Aqueles que guardam, praticam, e vivem da lei, são discípulos de Moisés (Jo 7: 19; Jo 1: 17a; Gl 3: 10; Tg 2: 10) e não de Cristo (Jo 1: 17b; Ef 2: 1- 8; Rm 3: 24- 28; Rm 5: 1- 21). Os ensinamentos de Moisés eram antigos (Hb 8: 13; II Co 3: 7- 16), e fazia parte da velha aliança (II Co 3: 6; Gn 9: 9- 13; Gn 15: 18- 21; Ex 6: 1- 6; Gn 17: 1- 7; Gl 3: 7- 16; Ex 19: 1- 5; Ex 24: 1- 8; Hb 9: 11- 15; Hb 8: 7- 13; Hb 7: 22- 25; Atos 7: 55- 56; Hb 10: 19- 20). Moisés tinha em cada cidade aqueles que falavam e discutiam sobre a lei (II Cr 17: 1- 9; II Rs 22: 8; II Cr 34: 1- 15). A pregação sobre a lei não produzia vida (II Co 3: 14-15; Is 29: 13; Mt 15: 8), pois lhe faltava o Espírito (Jo 14: 26: Jo 16: 13; I Sm 10: 6- 11). Onde não há o Espírito de Cristo não existe vida (Rm 8: 9b; Gl 2: 27- 28; I Co 12: 12- 13). Os judeus tinham a letra (Mt 23: 1- 2; Ec 12: 12), mas não tinham aquele que dá vida à letra (Mt 23: 37; Atos 20: 28). Ter o conhecimento, mas se não tiver a o Espírito Santo no controle (Atos 5: 27- 32; Atos 8: 29- 39; Atos 10: 19- 48; Atos 11: 1- 12; Atos 13: 1- 4; Atos 15: 28- 29; II Co 3: 17), não adianta nada (Mt 15: 1- 5; Mt 13: 10- 13; Jo 8: 43; Rm 8: 9b;) Os judeus tinham a palavra escritas nas tábuas de pedra (Ez 36: 26; Atos 7: 48- 52; Mt 21: 33- 39), mas não tinham o Espírito Santo no coração (Ez 36: 27; Ez 39: 29; Zc 12: 10).

Sem o Espírito Santo é impossível entender os ensinamentos de Jesus (Jo 14: 26; Is 54: 13; II Co 3: 3; Ez 36: 26- 27; Gl 3: 7- 14; Ef 1: 13). Onde não há direção do Espírito Santo o jugo é pesado (Atos 15: 5; II Co 3: 17; Atos 20: 28; Jr 3: 15; Mt 11: 28- 30). O ministério de Moisés era o ministério da letra (Rm 2: 17- 18; Jo 5: 39- 40; Rm 2: 21- 24; Mt 15: 1- 8; Rm 2: 25- 29); o ministério de Cristo é o ministério da vida (Jo 10: 10b; Jo 4: 1- 14; Jo 7: 37- 38; Ap 22: 17). O ministério da letra está fundamentado na capacitação humana (I Co 1: 20; Jo 1: 10; I Co 1: 21; Atos 2: 22- 39; I Co 1: 24; Cl 2: 2- 3; I Co 1: 18). O ministério de Cristo não esta fundamentado na capacidade humana (Rm 1: 16- 17; I Co 2: 1- 5; I Co 4: 20; Rm 15: 18- 19), mas sim na capacitação que veio de cima (Lc 4: 18- 19; Ef 4: 7- 8; II Co 3: 4- 5; I Co 1: 21; I Co 2: 9). Moisés trouxe o ministério da morte (II Co 3: 7; Rm 7: 7- 11; Rm 8: 2), Cristo trouxe o ministério do Espírito (II Co 3: 8; Jo 14: 15- 16; Ef 1: 13; I Co 3: 16; Ef 4: 17- 30; Tg 4: 4- 5). O ministério de Moisés trouxe a lei (I Jo 1: 17a; Rm 10: 5; Tg 2: 10), o ministério de Cristo trouxe a graça (Jo 1: 17b; Mt 11: 13; Mt 14: 1- 12; Mt 4: 12- 17; Rm 10: 4). O ministério de Moisés é o véu da religiosidade, que somente em Cristo é abolido (II Co 3: 9- 14; Jo 9: 14- 39). A religião é o véu que cobre o espírito do homem até os dias de hoje (II Co 3: 15; Is 25: 6- 7; Gl 5: 1; Gl 3: 3; Mc 14: 38; Jo 8: 36).

A decisão da Assembléia

ATOS 15: 22- Então pareceu bem aos apóstolos e anciãos, de acordo com toda a igreja, escolher homens dentre eles e enviá-los, a Antioquia junto com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens considerados entre os irmãos.

Momento importante para caminhada da igreja: Tiago, Pedro e João, eram os lideres da igreja nesse tempo (Gl 2: 9; Jr 3: 15; Jo 21: 15- 17; Mt 4: 18- 19; Jo 21: 1- 3). De comum acordo com os apóstolos (Mt 10: 1- 4; Atos 1: 15- 26; Atos 6: 1- 4; Atos 8: 1; Atos 15: 1- 2), os anciãos (Pv 31: 10- 23; I Sm 15: 28- 30), e toda a igreja (Mt 16: 18- 19; Mt 18: 18- 20; I Co 5: 1- 12; Atos 6: 1- 5), a palavra de Tiago finalizou a discussão (Jo 19: 22; Ap 22: 19; II Pd 3: 15- 16; Ap 20: 15), e ficou estabelecida como doutrinas da igreja gentílica (Atos 15: 28- 29; Gl 2: 8- 9; Pv 11: 14). Naquele tempo não era como hoje (Jó 7: 6; Jó 19: 23- 25; Jo 12: 32; Ap 1: 17- 18; Jó 19: 26- 27; Sf 1: 14a; I Ts 4: 13- 17; I Co 15: 51- 57); não havia telefone, celular, fax, ou internet (Dn 12: 4; Mt 24: 10- 12; Dn 12: 3; II Tm 4: 2). Eles não podiam enviar por e-mail (Jó 9: 25a). A caminhada de volta onde começou a polemica era longa (Atos 15: 1- 3; Atos 14: 25- 26; Atos 13: 1- 4; Atos 14: 27- 28). Barnabé e Paulo tiveram que ir pessoalmente (Gl 2: 9- 10; Atos 15: 23- 27). Junto com eles a igreja de Jerusalém enviou Judas e Silas (Ec 4: 9- 12; Amós 3: 3; Atos 15: 36- 40; Atos 13: 13; Hb 12: 14- 15; Mt 6: 14- 15; Cl 4: 7- 10; II Co 2: 10- 11). Judas também chamado Barsabás e Silas eram homens de confiança da igreja (Atos 15: 30- 32; Ef 4: 7- 11; I Co 14: 29; Atos 11: 27- 29; Atos 13: 1- 2; Atos 21: 7- 11). Outro Barsabás aparece na igreja de Jerusalém, José (Dt 29: 29). José que juntamente com Matias foi um dos dois concorrentes a ocupar a vaga de apóstolo, que antes foi ocupada por Judas Iscariotes (Atos 1: 21- 25; Mt 10: 1- 4; Jo 12: 1- 6; I Tm 6: 9; I Pd 5: 8; Mt 26: 14- 15; Ef 4: 27; Jo 13: 21- 27; Mt 26: 36- 49; Mt 27: 3- 5; Gl 6: 7). Judas e Silas eram homens considerados pela igreja (Mt 5: 13- 14; Sl 149: 6; II Tm 2: 15; 2- 4). Você é como Judas e Silas, crente atraente? (Atos 15: 32; Is 35: 3- 4; Jó 4: 3- 4). Ou você é como os fariseus, crente repelente? (Mt 23: 1- 2; Lc 1: 46- 51; Mt 23: 13- 28; Gl 2: 6).  

ATOS 15: 23 - Por meio deles escreveram: Os irmãos apóstolos e os anciãos, aos irmãos dentre os gentios em Antioquia, Síria e Cilicia, saudações. 

A igreja de Jerusalém enviou por meio de Barnabé e Paulo uma carta (Atos 15: 30; Lc 14: 31- 32; Pv 25: 13; Pv 13: 17). A carta continha o que ficou decidido na assembléia (Atos 15: 28- 29; Rm 1: 18- 23; I Co 15: 33; Ef 5: 7- 11; I Co 10: 14; Rm 1: 24-25; I Jo 5: 21; Rm 1: 26- 28; Ef 5: 12; Ap 3: 6). A carta foi enviada pelos apóstolos e anciãos de Jerusalém para os irmãos das igrejas de Antioquia (Atos 13: 1- 4; Atos 11: 19- 28; Atos 18: 1- 26; Rm 16: 1- 3; I Co 16: 19; II Tm 2: 15), Síria e Cilicia (Atos 15: 40- 41; Is 7: 8; Jr 17: 1- 3; Lc 13: 6- 9; Atos 9: 1- 20; Jo 3: 16; Atos 15: 40- 41). Esta carta foi muito importante, pois ela deixa claro: O que era o motivo da discussão (Atos 15: 2), a doutrina da salvação (Atos 15: 1), o fundamento é o livre arbítrio (Atos 15: 29), e o Espírito Santo (Atos 15: 28). O livre arbítrio esta no coração do homem (Js 24: 15; Dt 30: 14- 15; Rm 10: 8- 13), por isto que o Senhor pede (Pv 23: 26; Ap 3: 20; Jo 10: 1- 2).
Quando o homem ouve a voz do Senhor (Mt 7: 24- 25; Jo 7: 16- 17; Mt 24: 35), e abre à porta do seu coração (Ap 3: 20; Pv 17: 19- 20; Sl 141: 3; Tg 3: 1- 10), o Espírito Santo entra (Jo 10: 1- 2; Sl 24: 7; Jo 14: 23- 26; Ef 1: 13) e passa fazer morada nesse coração (I Co 3: 16; I Co 6: 15; I Co 3: 17; Pv 9: 10). O Espírito Santo habitando nesse novo crente faz dele uma nova criatura (II Co 5: 17; Ef 2: 1- 6; Ef 5: 8; Ef 4: 17- 30; Tg 4: 5; Pv 6: 34a; II Co 11: 2), e escreve em seu coração a lei de Cristo (II Co 3: 3; Gl 6: 2; Rm 13: 8; Jo 15: 12- 14). O Espírito Santo trabalha a consciência do novo convertido (Rm 2: 14- 15; Pv 9: 10; Rm 2: 16; I Co 2: 15- 16; Ef 1: 16- 18; ; Rm 12: 1- 3; Co 15: 58), e faz com que ele obedeça à palavra de Deus por livre e espontânea vontade (Sl 119: 11; Sl 1: 1- 2; II Co 3: 17; Mt 11: 28- 30). Jesus não obriga ninguém a lhe obedecer (II Co 3: 17), mas mostra o que acontece com quem obedece (Jo 14: 23; Mt 7: 24- 25; I Jo 4: 4), e com quem não obedece (Mt 7: 26- 27; Mt 23: 37- 38; I Co 11: 30; Ef 5: 14; Ap 3: 6).

ATOS 15: 24 - Tendo sabido que alguns saíram do nosso meio, sem nenhuma autorização, e vos tem perturbados com palavras, transtornando vossa alma,

A igreja de Jerusalém foi informada por Barnabé, Paulo, e pelos irmãos da igreja de Antioquia (Is 58: 11- 12; Atos 8: 1; Atos 11: 19- 21; Is 53: 1; Mt 21: 33- 43; Atos 11: 22- 26; Jo 10: 16; I Co 12: 12- 13; Gl 3: 7- 26), que alguns que se diziam ter sido enviado por ela “estavam pregando que se os gentios não se circuncidassem não poderiam ser salvo” (Atos 15: 1; Gl 5: 1- 2; Rm 10: 4; Mt 5: 17; Atos 3: 18- 25; Gn 22: 1- 18; Gl 3: 16; Jo 3: 14; Jo 12: 32; Jo 3: 16). A igreja de Jerusalém escreve a carta informando que não autorizou nenhum pregador a falar em nome dela (Atos 15: 1; Jo 7: 22: Jo 1: 17; Ef 2: 1- 9). Os pregadores não tinham nenhuma autorização, mas a igreja reconhece que os pregadores saíram do meio dela (Atos 15: 5; Atos 11: 1- 3; Gl 2: 11- 12). Fazer parte da igreja, não dá o direito do crente sair doutrinando outros (I Co 11: 28; Gl 6: 4; II Co 13: 5). Para sair ensinando a palavra é necessário primeiro ter o chamado (Ef 4: 7- 11; Rm 12: 5- 8; I Co 12: 28- 31); segundo: Ter os dons do Espírito Santo na área do conhecimento e sabedoria (I Co 12: 8; Ex 31: 1- 3; Mt 25: 14- 29); terceiro: Ter conhecimento das escrituras (Os 4: 6a; Mt 22: 29), e quarto: Receber autorização de Deus através do homem (Atos 13: 1- 4; I Tm 4: 13- 14; II Tm 4: 1- 5). Sair sem preencher estes requisitos, é sair para criar polêmicas (I Jo 2: 18- 19; Atos 20: 29- 30; Dt 13: 13; Mt . 6: 24; I Tm 6: 10; I Co 8: 5), e ensinar heresias (Gl 1: 6- 8; Cl 2: 8- 23; I Jo 4: 6). Os fariseus eram falsos irmãos (Gl 2: 1- 4; Atos 15: 1- 5). Gostavam de carregar o jugo pesado nos ombros (Gl 2: 5; Mt 11: 28- 30; Rm 1: 16- 17) e queriam que os gentios também carregasse (Gl 5: 2; Rm 11: 13). Os fariseus estão presentes em nosso meio (Mt. 23: 1- 2; II Co 11: 13- 15), e são usados por Satanás (Jo 8: 44; Rm 8: 9b), para transtornar o evangelho (Gl 1: 7; Mt 13: 24- 25) e desviar o crente do verdadeiro conhecimento da salvação (Lc 11: 52; Gl 5: 2; II Pd 3: 15- 18; I Jo 2: 26- 27; Ap 3: 11).

ATOS 15: 25- Pareceu- nos bem, chegados a pleno acordo, escolher alguns homens e enviá-los a vós com os nossos amados, Barnabé e Paulo;

Embora a palavra de Tiago tenha sido determinante na decisão tomada pela igreja (Atos 15: 13- 19 e 27- 29), ela foi tomada em conjunto (Atos 15: 28; Pv 11: 14; I Rs 12: 1- 7; Jr 7: 23- 24; Rm 8: 28; I Rs 12: 8- 16; Atos 15: 14- 16; Amós 9: 11; Hb 7: 11- 22; Ex 19: 1- 5; Ex 24: 1- 8; II Co 3: 6- 14; Jo 1: 17). Em conjunto também foram escolhidos os irmãos para acompanhar Barnabé e Paulo (Mt 18: 18; Mt 16: 19; Mt 18: 20; Ec 4: 9; Sl 122: 1). A igreja é um corpo e tem muitos membros (I Co 12: 14; Hb 10: 23- 25; Pv 18: 1; I Co 1: 24; Cl 2: 2- 3). Toda decisão que envolve doutrina, não pode ser decidido por um só homem (Ec 4: 12; Dt 18: 1- 27). O crente não pode ser importante só na hora de contribuir com os dízimos e ofertas (I Co 6: 2; I Co 5: 12- 13a; Os 4: 6a; I Co 11: 30- 32; Sl 119: 11). Tem doutrina que afasta o crente da salvação (Jo 1: 17; Pv 9: 10; Atos 17: 11; Mt 11: 13; Rm 10: 4; I Jo 5: 21; I Co 10: 14; Cl 2: 18; Gl 1: 6- 8; I Tm 4: 1; Ef 4: 27; I Pd 5: 8). Rejeitar a graça, e abraçar a lei, é o mesmo que rejeitar a salvação (Gl 5: 1- 2; Gl 3: 3; Ap 2: 4; Hb 12: 6- 8).

 A igreja a qual nós estamos estudando não tomou a sua posição baseada no pensamento do homem (Is 55: 8; Ap 3: 6; Atos 15: 28; Atos 13: 2; Ap 2: 17; Atos 13: 4; Atos 8: 29; Atos 10: 19; Atos 16: 6- 7; Is 55: 1a; Atos 8: 30- 38; Atos 10: 20- 48a; Atos 16: 8- 33; Jr 29: 11). A igreja de Atos dos Apóstolos não era conduzida por o pensamento de um só homem, mas pela palavra de Deus (Atos 15: 13- 20; Sl 119: 105; Rm 1: 18- 28; Ef 5: 11- 12), pelo Espírito Santo (Jo 1: 14- 15 e 26; Jo 15: 26; Jo 16: 7- 15), e pelos homens (Ef 4: 7- 8; I Co 12: 1- 7; Ef 4: 9- 11; Atos 14: 14; Atos 13: 1a; Atos 21: 8; Mc 6: 34; Atos 20: 28; Jr 3: 15). A igreja de Cristo é completa (I Co 12: 12- 13; Cl 1: 15- 19; Jo 3: 29- 34; Lc 4: 18- 19; Gl 3: 27- 28; Ef 1: 13), ilimitada (Mt 16: 18- 19; Atos 1: 8; Mt 24: 14; Is 45: 2; Atos 18: 9- 10; Mt 28: 18- 20), e não tem o seu fundamento firmado neste mundo (I Jo 5: 7; Is 40: 21- 24; Jo 1: 1; Gn 1: 1- 3; II Co 4: 6; Jo 8: 12; I Co 3: 10- 11; I Co 2: 1- 5; I Co 1: 18). O pensamento dos homens em relação à palavra pregada por Tiago, e a escolha dos irmãos para acompanhar Barnabé e Paulo foi de comum acordo com pensamento do Espírito Santo, e a igreja entendeu (Atos 15: 22; I Co 2: 15- 16; II Co 3: 17; Jo 8: 36).
ATOS 15: 26- Homens que tem exposto a vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Foram escolhidos para acompanhar Barnabé e Paulo homens que já tinha passados por varias provas (Tg 1: 2; II Tm 2: 15; Hb 4: 12; Amós 4: 12b; Sl 149: 6; II Tm 4: 2; Sl 122: 1). Homens que já tinham sido perseguidos (II Tm 3: 12; Mt 10: 16; Atos 20: 28- 30; Ap 2: 9; Fp 3: 19; II Co 11: 13), e por causa do nome de Jesus, varias vezes andaram pelo vale da sombra da morte (Sl 23: 4- 5; Jr 20: 11; Atos 18: 9b- 10; Is 43: 13). Aqueles homens expuseram a suas vidas pelo Nome que está acima de todo o nome (Fp 2: 9- 11; Ef 1: 18- 21; I Co 3: 1- 5; Ef 4: 7- 8; I Co 3: 6; Jo 15: 1- 5). O Nome de Jesus trás salvação (Atos 4: 12; Rm 10: 8- 13; Atos 2: 16- 21; Jl 2: 28- 32; Atos 2: 22- 39; Atos 10: 1- 4; Sl 118: 20; Atos 10: 5; Atos 15: 7; Atos 10: 19- 48a; Jo 10: 9; Atos 8: 26- 28; Sl 1: 1- 2; Atos 8: 29- 33; Is 53: 1- 12; Atos 8: 34- 35; II Tm 4: 2; Atos 8: 36- 38; Mc 16: 16; Ap 22: 19; Ap 20: 15), libertação (Mc 16: 17; Atos 16: 9- 18; Jo 8: 36; Is 61: 1; Lc 4: 18; Atos 16: 31), cura (Is 53: 1- 5; Atos 3: 1- 6; Atos 9: 32- 34) e conduz a vida eterna (Jo 3: 16; Ef 2: 1- 9; Dt 32: 9- 10; I Jo 4: 19). Jesus Cristo é o único nome pelo qual Deus perdoa pecado (Is 53: 6- 12; I Tm 2: 5; Jo 14: 6).

O nome de Jesus Cristo é a marca que carregam aqueles que já venceram o pecado (Rm 6: 3- 14a; Cl 3: 1- 10; Rm 12: 1- 2; I Ts 4: 3a; I Pd 1: 16; Hb 12: 14b), a carne (Rm 8: 1; Mc 14: 38; Gl 5: 16; Tg 1: 13- 15; Mc 13: 37; Ap 3: 11), o mundo (I Jo 5: 19; Jo 16: 33; I Jo 2: 16; Lc 4: 5; I Co 15: 45; Gn 3: 1- 6; I Co 15: 48; Lc 4: 6), o diabo (Ef 4: 27; Lc 4: 7; Ef 5: 1; Lc 4: 8; II Co 5: 7), a morte (I Co 15: 55- 57; Rm 5: 12- 21; Rm 10: 8- 13; Jo 3: 16) e o inferno (Ap 1: 17- 18; Gl 2: 20; I Jo 4: 4; Ap 20: 14- 15). O nome de Jesus está na boca daqueles que são guiados pelo Espírito Santo (Jo 16: 26; Jo 1: 1- 12; Rm 8: 14). O nome de Jesus é o nome mais falado na casa onde o Espírito Santo faz a sua habitação (Jo 14: 23; Atos 7: 48; I Co 3: 16; I Co 6: 20; Ef 2: 18).

O nome de Jesus é o primeiro nome em meditação na mente daqueles que estão em comunhão com o Espírito Santo (I Co 2: 15- 16; II Co 10: 4; Cl 3: 1- 2; Atos 7: 55- 56). Jesus Cristo é a palavra de Deus (Jo 1: 1-3; Ap 19: 11- 13; I Jo 1: 1), e o seu nome deve ser usado em qualquer situação (Jó 4: 15; I Pd 5: 8; Sl 91: 1- 5) por aquele que são salvos (Rm 10: 8- 13; Jo 1: 12; Ap 3: 20; Jo 10: 1- 2; Pv 23: 16:).  Aquele que consegue encontrar Jesus através da palavra de Deus; alcança o máximo (Cl 2: 2- 3; I Co 1: 24; I Co 2: 1- 5), e atinge o limite (Ef 3: 8- 10; Jó 11: 6; Rm 11: 33- 36). Para onde iremos depois de chegar ao conhecimento do Senhor Jesus? (Jo 6: 68). Qual o caminho a seguir?  (Jo 14: 6). Por qual porta entrar? (Jo 10: 9; Sl 118: 20; Mt 7: 13; Lc 4: 5- 8). Existe um lugar oculto em Deus, para você entrar (Sl 25: 14a; Ef 2: 13- 14; Hb 10: 19- 21; Hb 4: 14-16; Rm 5: 1- 9; Mt 6: 6). O que você está esperando? (I Ts 5: 17; Jr 29: 11; Jr 33: 3; I Co 2: 9).

Atos 15: 27- Portanto, enviamos Judas e Silas, os quais pessoalmente confirmarão estas coisas.

Os apóstolos e anciãos deram tanta importância ao assunto que enviar uma carta não bastava, acharam necessário enviar também testemunhas (Atos 15: 22; Is 44: 8; Atos 1: 8; Atos 1: 22; Atos 2: 32; Atos 3: 15; Atos 5: 32; Atos 15: 28). Questões doutrinárias devem ter relevância nos assuntos da igreja, pois sãos elas que determinam o bom andamento da igreja (Co 14: 33- 40; Sl 81: 13; Is 29: 13). Doutrinas que salvam somente as doutrinas de Cristo (Jo 7: 16- 17; Jo 14: 23; Mt 7: 24- 27). Doutrinas dos homens não salvam, mas organiza a igreja (I Co 7: 6; Rm 13: 1- 3). Sabemos quase nada sobre Judas e Silas (Atos 15: 36- 40; Ec 4: 9; Atos 16: 25; Ec 4: 10- 12; Atos 16: 16- 24), mas não importa (II Co 3: 6; Ec 12: 12; Atos 26: 24). O importante não é o que nós sabemos deles, mas sim o que a igreja da época sabia deles (Atos 15: 22 e 32; Mt 5: 14- 16; Jo 15: 16). Eles não tinham o costume de escolher qualquer um (Atos 6: 1- 3; I Tm 3: 1- 13; Ef 5: 18). O Espírito Santo é quem dava as ordens e eles sabiam disso (Jo 14: 15- 16; Atos 2: 1- 4; Atos 4: 24- 31; Atos 5: 32; Atos 6: 1- 5; Atos 8: 5; Atos 1: 8).

 Aqueles homens tinham comunhão com o Espírito Santo (Atos 15: 28; Atos 5: 32; Atos 13: 1- 4; Atos 16: 6- 7; Ap 22: 17) e ouviam a sua voz (Atos 8: 29; Atos 10: 19; Hb 4: 7; Atos 8: 30- 38; Atos 10: 20- 48). O Espírito Santo não escolhe por parentesco (Mt 12: 46- 50; Jo 2: 1- 4), amizade (Mc 10: 35- 40), poder financeiro (Tg 2: 1- 4; I Co 6: 4), ou qualquer outra forma aparente (I Sm 16: 7a; Sl 147: 9- 11; Pv 9: 10; Sl 27: 14). Deus não vê como o homem vê, o homem olha o que está diante dos seus olhos (Gn 3: 6; Pv 27: 20; Gn 2: 15- 17; Mt 5: 27- 29; I Co 7: 1- 5; Pv 5: 13- 20), porém o Senhor olha o coração (I Sm 16: 7b; Jo 7: 24; Sl 119: 11; Sl 1: 1- 3). O homem olha com olhar de interesse (Tg 2: 1- 4; Jd 12), Deus olha com olhar de misericórdia (Tg 2: 5; Lc 16: 19- 25; Pv 13: 7). O homem olha, com olhar de desprezo e abandono (Lc 16: 19- 21); Deus olha com olhar de amor (Lc 16: 22- 25; Is 49: 15- 16; Jó 14: 7- 9; I Sm 2: 1- 8). Judas e Silas tinham uma missão: Confirmar a decisão tomada pela igreja na assembléia de Jerusalém (Atos 15: 1- 2; Atos 1: 15; Atos 2: 41; Atos 4: 4; Atos 6: 1- 7; Atos 8: 14; Atos 9: 23- 27; Atos 11: 1 e 19- 22; Atos 12: 1- 5; Atos 1: 14; Atos 12: 6- 12; Ap 2: 4; I Ts 5: 17).

Atos 15: 28 - Pois pareceu, bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor maior peso além destas exigências necessárias:

Havia uma união entre o Divino e o humano na igreja de Jerusalém (Atos 2: 1- 4; Atos 4: 23- 31; Atos 9: 17; Atos 4: 8; Atos 9: 18- 20; Atos 4: 9- 12; Jo 15: 26). Na igreja de Cristo, o Divino e humano não se separam (Jo 14: 15- 16; Atos 7: 48; Jo 14: 23; Ef 2: 1- 22; I Co 3: 10- 16 e 20; I Pd 2: 3- 10). A igreja tem uma missão (Mc 16: 15; Atos 5: 17- 32; I Co 1: 18; I Co 2: 1- 5; Rm 1: 16- 17; Rm 15: 18- 19; II Tm 4: 1- 8; I Ts 4: 13- 17). O Divino é quem está na liderança da missão (Atos 8: 29- 30; Atos 10: 19- 23; Atos 11: 12; Atos 13: 1- 4; Atos 16: 5- 10; Rm 15: 18- 19; Rm 1: 16- 17). O Divino precisa do humano (Is 6: 8a; Gn 3: 22; Gn 1: 26; Jo 17: 5; Lc 10: 18; Ap 12: 7- 9; Ez 28: 13- 15; Is 14: 13- 14; Fp 2: 5- 7), e o humano precisa do Divino (Is 6: 8b; Atos 1: 8; Jo 14: 26; Jo 16: 13). Sem o Divino, o humano não faz a obra verdadeira (Ap 22: 17; Is 55: 1- 2a; Lc 22: 35- 36; Hb 7: 12; Sl 149: 6; Ef 10: 12- 17). Devemos sempre lembrar: é o Divino quem escolhe o humano. (Jo 15: 16; Is 44: 1; Jr 1: 5; Gl 1: 15; I Jo 4: 19). Há de se destacar: Havia uma preocupação do Espírito Santo, e da liderança da igreja de Jerusalém, em não sobrecarregar os gentios (Gl 3: 8; Gn 12: 1- 3; Gl 3: 9; Rm 4: 3; Rm 5: 1- 20; Ef 2: 1- 9).

 Onde o Divino e o humano estão em comunhão (Lc 4: 18- 19; I Co 12: 1- 13; Ef 4: 7- 11), o jugo é suave e o fardo é leve (Mt 11: 28- 30; II Co 3: 17; Gl 5: 1; Gl 3: 1- 3; Cl 2: 8- 23). “Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós”. Ou seja, a palavra pregada por Tiago veio do Espírito Santo (II Pd 1: 20- 21; II Tm 3: 14- 17). O que entendemos: O Espírito Santo e os apóstolos concordaram que; o que vai alem do livre arbítrio do homem, é peso (Zc 4: 6; Atos 15: 29; Mt 23: 1- 4; Atos 15: 7- 10; II Co 3: 17; Jo 8: 36). Na palavra de Deus encontramos a lei (Ex 24: 12; Dt 4: 8; Ex 27: 1- 3; Js 1: 8) e as doutrinas (Pv 4: 2; Mt 22: 33; I Co 14: 6). A lei a as doutrinas fazem parte da constituição do Reino (Hb 12: 18- 25; Dt 32: 1- 2; Dt 30: 11- 15), mas as doutrinas, assim como a lei, elas não podem salvar (Rm 10: 4- 13; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11). As doutrinas têm como objetivo preparar o crente para atingir espiritualidade (Pv 4: 2; I Co 3: 1- 3; I Pd 2: 1- 2; Rm 8: 1; Jo 3: 1- 8; Jo 4: 23- 24; Sl 101: 6; Atos 13: 22; I Co 2: 9- 16). A lei serviu de aio até a chegada do Cristo (Gl 3: 22- 24; Rm 5: 1; Hb 11: 6; II Co 5: 7; Gl 3: 25), as doutrinas servem de aio até o homem aprender a ter comunhão com o Espírito Santo (I Co 3: 1- 3; Rm 6: 17- 19; Hb 12: 14; I Pd 1: 16; Sl 93: 5; Jo 14: 15- 16; I Co 3: 16; Jo 14: 26; Is 54: 13; Jr 31: 34; II Co 3: 3; Rm 2: 14- 15; Ez 36: 26- 27; I Co 13: 11).  
Atos 15: 29 - Que vós abstenhais das carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das imoralidades sexuais. Fareis bem se guardares destas coisas. Saúde.

O texto não está falando do sacrifício pelo pecado praticado pelos judeus (Dn 8: 1- 11; Dn 11: 1- 31; Is 53: 1- 8; Atos 8: 26- 35; Dn 9: 1- 17; Mt 23: 37- 39; Dn 9: 18- 26; Mt 24: 1; Atos 7: 48; I Co 3: 16; Ef 1: 13), mas do sacrifício á ídolos, praticados pelos gentios (Dt 32: 15- 17; I Co 10: 14- 21; I Jo 5: 21; II Co 6: 14- 18). O cordeiro que os judeus usavam para o sacrifício não tinha o valor suficiente para pagar o preço do pecado (Hb 10: 1- 4; Mq 6: 6- 7; Is 1: 11). Deus precisava de um cordeiro que tivesse o valor suficiente para pagar esse preço (Rm 5: 1; Gn 3: 1- 19; Rm 5: 17- 20; Ef 2: 1- 9). O Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mt 28: 19; Mt 3: 13; Jo 17: 5; Mt 13: 16; Jo 16: 7; Mt 3: 17; Mt 27: 46; II Co 5: 21; Rm 8: 3) em uma reunião particular (Gn 1: 1- 3 e 26; Rm 11: 33- 34; Is 40: 12- 14; Jó 15: 7; Jo 17: 5; Jó 15: 8; Cl 2: 2- 3; Jó 15: 9; Jo 3: 29- 35) olharam para aterra (Jr 23: 21- 24; Is 40: 22) e não viram nenhum homem capaz de ser o cordeiro á pagar o preço (Ez 22: 30). Que preço era esse? A salvação de todos os homens (Jo 3: 16). Foi então que Jesus prontificou-se, em ser o Cordeiro que seria sacrificado por toda humanidade (I Pd 1: 18- 20; Jo 10: 1; Ap 12: 7- 9; Jo 1: 29; Jo 10: 2; Fp 2: 5- 7; Hb 10: 5; Is 6: 14; Is 62: 2; Lc 1: 26- 31; Lc 2: 1- 11; Mt 1: 1- 16). Semelhante a um cordeiro mudo Jesus foi levado ao matadouro para ser o sacrifício por nossos pecados (Is 53: 1- 12; Ap 5: 1- 9; Ap 20: 15).

Voltando a carta: O texto nos da a entender que a carta não se trata de uma carta de ordenanças (Hb 9: 1- 10; Cl 2: 4- 22; Ef 2: 14- 18), mas sim uma carta de aconselhamento (Atos 15: 32; Jr 31: 34; Jo 14: 26; Is 48: 17; Is 54: 13). O que eu entendo: A decisão é do crente (Dt 30: 15; Jo 10: 10; Pv 23: 26; Jo 10: 1- 2; Ap 3: 20) . O Espírito Santo vai dizer no coração do crente que é certo e o que é errado (Zc 4: 6; Rm 2: 14- 16; II Co 3: 3). Como ele vai fazer isto? Ele vai conduzir o crente pela palavra de Deus (Sl 119: 11; Sl 1: 1- 3; Js 1: 8; Sl 128: 1- 4). Antes o novo crente não era guiado pela palavra de Deus, mas sim pelo príncipe deste mundo (Ef 2: 1- 2; I Jo 5: 19; Tg 4: 4- 5), servindo a ídolos mudo (I Co 12: 2; Is 44: 9- 20; I Co 8: 1- 6; Cl 1: 15- 23; Mc 13: 37; I Pd 5: 8) e vivendo na pratica do pecado (Ef 2: 3; Ef 5: 6- 8; I Co 15: 33). Estava cegado pela incredulidade (II Co 4: 4), mas agora vivendo pela fé (II Co 5: 7), o Espírito Santo escreve a lei de Cristo (Gl 6: 1- 2; Tg 5: 19- 20; Lc 10: 25- 34) dentro do seu coração (II Co 3: 3; Gn 1: 3; II Co 4: 6- 7). Agora o novo crente tem que olhar a palavra com outros olhos (Pv 9: 10; I Rs 13: 1- 24; Mt 7: 24- 27; Jo 7: 16- 17). O que a palavra de Deus fala sobre o sacrifício á ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das imoralidades sexuais? (Atos 21: 25; Rm 1: 18- 19; I Co 10: 19- 21; Dt 32: 17). Deus odeia os ídolos (Dt 32: 15- 21). A idolatria traz as imoralidades sexuais (Rm 1: 21- 27), o desrespeito com vida (Jó 12: 9- 10a), e com o sangue (Lv 17: 10- 11; I Pd 1: 18- 19; I Co 11: 23- 25). Espiritismo e catolicismo estão dentro deste mesmo contexto (I Sm 15: 23; Sl 115: 4- 17; Is 8: 19; Ec 9: 5; I Sm 28: 1- 19; I Sm 31: 1- 6; Pv 9: 10).

A leitura da mensagem

ATOS 15: 30 - Os que foram enviados desceram logo para Antioquia e, tendo reunido a comunidade, entregaram a carta.

Barnabé, Paulo, Judas, Silas e todos aqueles que estavam com eles (Atos 15: 1- 2) eram servos (Mt 24: 45; Ne 8: 10a; II Tm 2: 2; I Co 2: 2; Jo 6: 48). Eles eram servos não dos homens (Gl 1: 10; Atos 4: 8- 20; Lc 19: 40), mas sim do Senhor Jesus (I Pd 2: 12- 16; Jo 15: 16; Jo 4: 35). Como eles demonstravam isso? Servindo a igreja (Jo 13: 1- 15; Lc 14: 15- 23; Atos 13: 13- 44). Os apóstolos e discipulos procuraram cumprir a missão o mais rápido possível (Atos 21: 25; Ef 6: 12; II Co 2: 11; I Co 10: 20). Eles entenderam que não podiam perder tempo (Ef 4: 27; II Co 11: 2- 3; I Co 8: 10; I Co 10: 22; II Co 13: 5- 8). Enquanto o crente dorme (Ef 5: 14; Rm 13: 10; Is 60: 1; Rm 13: 12), o diabo permanece acordado (I Pd 5: 8; Mt 16: 20- 23; Pv 10: 19; Sl 141: 3; Tg 3: 1- 12). Enquanto o crente descansa, o diabo trabalha (Mt 26: 14- 16; Jo 13: 21; Jo 10: 10a; Jo 13: 22- 27; Mt 27: 3- 5; I Tm 6: 10).

Falsos irmãos, pregadores da circuncisão estavam agindo e colocando em risco a doutrina da graça (Jo 1: 17; Ef 2: 1- 8; Rm 5: 1- 21). Quando nós conhecemos a verdade e nos omitimos, estamos concordando com a mentira (Jo 8: 44; Jo 8: 36; Mt 10: 32- 33; Mc 4: 40; Jz 7: 3; Ap 21: 8). Muitos estão dormindo (I Co 11: 30), outros estão morrendo (Tg 1: 13- 15; I Pd 2: 20- 22; Mt 12: 43- 45). Por falta de conhecimento o povo esta morrendo (Os 4: 6a; Cl 2: 2- 3; II Pd 3: 15- 18); e o que estamos fazendo? (Tg 4: 17; Lc 12: 42- 48; Ec 1: 18). Eles chegaram e reuniram a comunidade, ou seja, eles não reuniram somente a igreja, mas toda a população local. O que continha na carta libertava não só a igreja do jugo do judaísmo (Atos 15: 1- 5; Atos 11: 1- 3; Atos 21: 17- 24; Gl 2: 4- 5), mas todos os gentios para servir o Deus de Israel, sem impedimento algum (Atos 15: 24; Mt 11: 28- 30; II Co 3: 17).

ATOS 15: 31 - Quando a leram, muito se alegraram pelo conforto recebido.  

Você tem que receber a palavra de Deus com muita alegria (Sl 100: 2; Sl 122: 1; I Co 11: 23- 25; Sl 104: 15; Sl 45: 7), ainda que palavra seja dura (I Co 11: 27- 28; Gl 6: 7- 8; Mc 14: 38; Ef 4: 27- 32; Hb 12: 14- 15; Mt 6: 14- 15; Mt 5: 38- 48; Rm 12: 18- 21; Hb 12: 6- 8). Pois ela tem com objetivo atingir o alvo (Pv 23: 26; Ap 3: 20; Jo 10: 1- 2). A Palavra de Deus só tem o bem para você (Lm 3: 22; Jo 1: 1- 12; Mt 7: 9- 11; Rm 8: 26; I Pd 2: 10; Ef 1: 13; Ef 2: 1- 18). Ela é lâmpada para seus pés, e a luz para seus caminhos (Sl 119: 105; Pv 6: 23; Sl 36: 9; Jo 8: 12). A palavra de Deus trás libertação (Jo 8: 31- 32; Jo 17: 17; Gl 5: 1; Jo 8: 36), cura (Pv 15: 30b; Ex 15: 26; Lc 4: 18; Jó 5: 18; Is 58: 6- 8) e vida (Jo 3: 16; Jo 10: 10b; Jo 11: 25- 26). O jugo da Palavra é leve, e o fardo é suave (Mt 11: 28- 30; II Co 3: 6- 17; Jo 6: 63). A palavra de Deus pode trazer por um momento tristeza; mas o que ela produz, trás alegria no futuro (Jo 13: 7; Sl 30: 5; Sl 37: 25; Sl 27: 14; Is 25: 9). Por certo tempo falsos irmãos trouxeram mentiras, criaram polêmicas (Atos 15: 1-2; II Pd 2: 1- 2; I Jo 4: 1; Mc 13: 37), causaram transtorno, temor, e tristeza para aquela igreja (Atos 15: 24; Gl 1: 7; I Co 8: 2). Agora os discipulos de posse da verdade trazem alegria e conforto, não só para o povo, mas para toda comunidade (Atos 15: 30; Lc 14: 15- 23; Mc 16: 15).

 O egoísmo de alguns que trabalham na área de ensino tem sido o motivo de tanta carnalidades na igreja (Cl 2: 4- 23; II Tm 3: 1- 6; Pv 6: 12- 13; Jd 12). Estão pregando em busca de seus próprios interesses (Ez 34: 1- 4; Tg 2: 1- 4; Amós 2: 6). Quando se tem como alvo o seu próprio interesse, a vida espiritual das ovelhas pouco importa (Ez 34: 5- 6; Jr 50: 6; Jr 23: 11). A igreja judaica estava escravizada pela lei: Tiago filho de Alfeu ainda aceitava circuncisão, Pedro concordava com ele (Gl 2: 11- 12), os fariseus eram a maioria (Atos 15: 5; Atos 11: 1- 3; Atos 21: 17- 24), mas eles abriram mão dos seus entendimentos (Sl 119: 11), recusaram ao desejo da maioria, e não usaram a lei para sobrecarregar os gentios (II Co 3: 17; II Co 9: 7; Ml 3: 7- 11; Nm 18: 21; Ml 2: 1- 9; Rm 10: 4; I Co 14: 20). Eles estavam sobrecarregados, debaixo do jugo da lei, mas amaram os gentios (Rm 13: 8; I Co 13: 1- 6; Hb 7: 11- 14; II Co 13: 8; Jo 17: 17); ouviram a voz do Espírito Santo (Ap 3: 6; Hb 4: 7; Jo 14: 26; Jo 15: 12- 14), e amaram o próximo (Mc 12: 28- 31; I Co 11: 1; Ef 5: 1; Gn 1: 26; I Jo 4: 7- 8; I Jo 3: 16- 18; Tg 1: 27; Tg 2: 18- 20; Lc 17: 5- 10; Lc 10: 25- 35). A igreja de Jerusalém entendeu que: A voz de Tiago era voz do Espírito de Deus (II Sm 23: 2; II Pd 1: 21; Ef 2: 20- 21; I Co 3: 10- 11; II Pd 2: 3- 7; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42). Concordaram com isso; e alegraram os gentios com um fardo leve e suave (I Co 2: 2; I Co 1: 18; Mt 11: 28- 30).

ATOS 15: 32- Judas e Silas, que eram também profetas, consolaram os irmãos com muitos conselhos e os fortaleceram.

Porque questionam o ministério de apóstolo, e não questionam o ministério profético? Judas e Silas eram profetas, assim como Paulo e Barnabé eram apóstolos (Atos 14: 14; Mt 10: 1- 4; Tg 1: 19). Na igreja de Cristo (I Co 12: 12- 27; Ef 4: 4- 6; Gl 3: 27- 29) existem todos os dons (I Co 1: 5- 7): Espirituais (I Co 12: 1- 11) e ministeriais (Ef 4: 7- 11; Rm 12: 3- 8; I Co 12: 28- 31; I Co 13: 1- 7; Gl 6: 2; I Jo 3: 16- 18; Lc 10: 25- 37). Os ministeriais são: Apóstolos (Atos 14: 14), mestres, profetas (Atos 13: 1; Atos 11: 27; Atos 21: 8- 10), evangelistas (Atos 21: 7- 8; Atos 6: 1- 5; I Tm 3: 8; Atos 8: 5- 8 e 26- 40; II Tm 4: 1- 5; I Tm 4: 6- 14), pastores (Jr 3: 15; Jo 21: 15- 17; Atos 20: 28). Judas e Silas eram discipulos de Cristo que tinham ministério profético (Atos 21: 10; Atos 11: 27- 29; Rm 15: 25- 26; I Co 16: 1- 3; II Co 8: 1- 3; II Co 9: 1- 5; II Co 12: 11- 18; II Co 11: 13- 15; II Co 12: 19- 20). Por serem profetas (Ez 1: 1- 3; Ez 2: 1- 2; Ez 3: 1- 2), eles profetizavam (Mq 3: 8; Atos 21: 11; I Co 12: 6- 10a; Atos 21: 8- 9; I Co 12: 5; Ef 4: 11). Consolaram os irmãos com profecias (I Co 14: 26- 31) e fortaleceram os irmãos com a pregação da palavra de Deus (II Tm 4: 2; Rm 10: 17; I Co 1: 18- 21; Is 35: 3). Consolaram os irmãos com muitos conselhos (Jo 15: 26- 27; Is 11: 1- 2; Is 61: 1- 2; Lc 4: 14- 19; Is 9: 6). Ou seja, eles não usaram o dom de profecia para colocar jugo pesado sobre a igreja (I Co 14: 32; Lc 1: 46- 47; Hb 4: 12; Sl 119: 11; Mt 11: 28- 30; Pv 9: 10; Ap 22: 19; Mt 7: 22; Ap 20: 15; Dt 18: 20). O que fortalece homem? Alimentação (Jo 6: 57- 58; Nm 21: 5; Dt 8: 3; Jo 8: 35). Sem o alimento correto, o crente morre logo após o nascimento (Lm 4: 4; Jr 2: 13- 14; Ap 2: 4; Mt 24: 12; Ap 3: 15- 18; I Co 10: 12; Tg 1: 13- 15; II Pd 2: 20- 22; Lc 11: 23- 26). A palavra de Deus é quem fortalece o espírito do homem (Amós 8: 11; Rm 10: 7; I Co 1: 21; Mt 5: 3; Pv 13: 7).

ATOS 15: 33 - Passando algum tempo ali, os irmãos os deixaram voltar em paz aos que o enviaram,

A alegria que transbordou no coração da igreja de Antioquia (Atos 15: 31), é a alegria que transborda na igreja de Cristo (Rm 14: 17; Rm 5: 1- 5; Ef 5: 18- 20). Com a alegria houve festa (Lc 15: 1- 6; Atos 15: 7; Jo 10: 16). Por muitos dias a igreja comemorou com cultos de ação de graça (Cl 3: 8- 15; Ef 5: 1- 4; Ef 2: 1- 9; Fp 4: 6- 7). Os apóstolos e os profetas ministraram em noites de festas (Atos 15: 32 e 35; Is 25: 6; Is 35: 3; Sl 149: 6). Aqueles que vieram de Jerusalém; Judas e Silas foram muito importantes para o consolo e fortalecimento da igreja (Jó 4: 3- 4; Atos 1: 8; Is 35: 3). O ministério dos dois edificava a igreja (I Co 14: 1- 3; Dt 18: 21- 22; Amós 3: 7- 8). Os irmãos de Antioquia que estavam sendo edificados não queriam deixar que eles voltassem para Jerusalém (Zc 8: 23; I Co 14: 23- 25; I Co 13: 11; I Co 14: 20). Depois de muitos dias, muitas pregações e profecias os irmãos resolveram deixar os discipulos voltarem em paz (II Co 3: 17; Jo 4: 24; Sl 95: 6- 7; Ap 3: 6).

A igreja de Antioquia estava fortalecida neste tempo (Atos 13: 1; I Co 1: 5- 7; Ef 4: 7- 8; I Co 12: 1- 5; Ef 4: 10- 16). Enviava missionários para campo (Atos 13: 2- 4; Mc 16: 15; Rm 15: 18- 19; Rm 1: 16- 17), e muitos eventos de avivamento aconteciam na cidade (Hc 3: 2; Is 29: 14; Hc 1: 5; Atos 13: 38- 41). Com estes movimentos muitos profetas desciam de Jerusalém (Atos 11: 27; Mq 4: 2; Atos 6: 1- 4). Em um desses dias, o amor da igreja foi posto a prova (Atos 11: 28; I Co 16: 1- 3; Rm 15: 26; II Co 9: 1- 2; II Co 8: 1- 3). A igreja de Antioquia era uma igreja que abraçou o amor de Cristo (Gl 6: 2; Jo 13: 1- 15). O amor de Cristo é o amor ao próximo (Jo 15: 12- 13; I Jo 3: 16- 18; Rm 13: 8). Ir à busca do perdido é amor ao próximo (Lc 19: 10). Fazer missões é amor ao próximo (Mc 16: 15). Fazer evangelismo é amor ao próximo (Lc 14: 15- 23). Pregar em tempo e fora de tempo é amor ao próximo (II Tm 2: 2- 5). Pregar só Jesus é amor ao próximo (I Co 2: 2- 5; Atos 4: 12; Fp 2: 9- 11; Jo 3: 16).

ATOS 15: 34 - (Silas achou melhor permanecer ali).

Foi uma decisão pessoal. Silas decidiu permanecer por mais um tempo naquela igreja. Quando se está envolvido com a igreja e com a sua obra, a proximidade com irmãos é o que deseja o coração (Sl 122: 1; Sl 133: 1; Gn 13: 8; Rm 12: 18). A vida envolvida com o evangelismo de rua (Mc 16: 15; Lc 14: 23; Sl 122: 1), com o circulo de oração (Atos 12: 5; I Ts 5: 17; Lc 18: 1- 8; Atos 12: 6- 12), com a campanha de jejum (Jl 2: 15- 16; Mt 17: 21; Rm 16: 20), edifica (Ez 22: 30; Ne 4: 6; I Co 3: 7- 11; I Co 2: 2; Jo 3: 29- 30) e deixa o crente cheio do Espírito Santo (II Rs 4: 1- 6; Mq 3: 8; Sl 23: 1- 5; I Co 3: 1- 6; Ef 5: 18- 21). Silas estava envolvido por este mover (Mt 6: 45- 46; Cl 2: 2- 3; Rm 11: 33a; Ef 3: 8- 10; Jó 11: 6; Lm 3: 22; Ef 2: 8; Jo 3: 16). A igreja de Jerusalém era forte na palavra, na oração, no trabalho social (Atos 6: 1- 7; Jo 21: 1- 6; Mt 4: 18- 19; Atos 1: 15; Atos 2: 37- 41; Atos 4: 1- 4), mas em Antioquia Silas era mais usado pelo Espírito Santo (I Sm 10: 6- 7; Atos 1: 8; Atos 16: 25- 26). Em Antioquia Silas profetizava (Atos 15: 32; I Co 14: 1; I Co 12: 10a; I Co 14: 29- 33; I Co 13: 11; I Co 14: 20); pregava (I Tm 4: 2; I Co 2: 2; I Co 1: 21; Jo 12: 32; I Co 1: 18; Ef 2: 11- 16; Cl 2: 4- 15); evangelizava (Mc 16: 15; Rm 1: 16- 17; I Co 2: 1- 5; II Co 4: 1- 7); participava da consagração com jejum e oração (Atos 13: 1- 2; I Ts 5: 17; Lc 18: 1; Atos 1: 13- 14; Atos 2: 1; Atos 6: 1- 4; Atos 9: 10- 11; Atos 10: 1- 4; Atos 12: 5- 12; Atos 16: 25- 26; Is 45: 2) e trabalhava na área de ensino (I Co 12: 7- 8; Mt 25: 14- 29; Mt 21: 28-31; Lc 17: 5- 10; Lc 10: 25- 34; Lc 14: 21- 23). A vida ativa de Silas fez dele um discípulo muito importante para a igreja de Antioquia que o Espírito Santo não lhe permitiu voltar para Jerusalém (Is 48: 17; I Co 2: 15- 16; Rm 8: 13- 14; Tg 4: 4- 5; I Jo 2: 16). O Espírito Santo segurou Silas por mais um tempo naquela cidade (Is 43: 13a; Atos 16: 6- 9; Atos 10: 19- 20; Atos 8: 29). Silas era reconhecido por Deus, e pela igreja (Rm 12: 9- 10; Rm 13: 1- 7; I Pd 2: 17; Lc 14: 7- 11). Silas era um servo útil (Atos 16: 19- 26; II Tm 2: 15- 21; Lc 17: 5- 10; Atos 6: 1- 5; Atos 8: 5- 8 e 26- 40; Atos 21: 7- 8; Atos 6: 5; Mt 25: 29). Silas era um servo fiel (Sl 101: 6; Sl 31: 23; Pv 28: 20), um homem espiritual (Jo 4: 23- 24; Jo 3: 3- 8; Rm 8: 1) que só queria trabalhar na obra. Foi recompensado por isso (Atos 15: 36- 40; Ed 10: 4; Mq 2: 10a; Ef 5: 14; Jo 4: 35).

ATOS 15: 35 - Paulo e Barnabé continuaram em Antioquia, onde, com muitos outros, ensinavam e pregavam a palavra do Senhor.

A igreja de Antioquia era uma igreja faminta pala palavra de Deus desde o seu nascimento (Atos 11: 19- 21). A missão de Paulo (Atos 26: 13- 18; Atos 9: 1- 16) começou em Antioquia (Atos 13: 1- 4; 13- 44; Atos 14: 1- 3; Atos 16: 1- 34; Atos 18: 1- 11; Atos 19: 1- 10; Atos 20: 1- 3; Atos 21: 8- 11; Atos 23: 11; Atos 28: 11- 31). Paulo e Barnabé conheciam aquela igreja, e a igreja reconhecia o trabalho feito pelo os dois (Ec 4: 9- 12; Lc 10: 1; Lc 24: 13- 15; Mt 18: 19- 20). A igreja de Antioquia foi gerada na palavra por Barnabé e por Paulo (Atos 11: 22- 26). Pelo bom trabalho feito anos antes da primeira missão (Atos 11: 25- 26; Atos 13: 3- 49; Atos 14: 1- 26), Barnabé e Paulo foram separados pelo Espírito Santo como missionários (Atos 13: 2; Atos 14: 22- 28; Sl 126: 5- 6). Paulo e Barnabé faziam parte da liderança da igreja (Atos 13: 1; I Co 12: 28; I Co 12: 4- 7; Ef 4: 11). E por serem missionários e fazerem parte da igreja (I Co 12: 12- 14; Rm 12: 4- 5), os dois permaneceram por mais um tempo juntamente com Silas (Atos 15: 34), João marcos (Atos 15: 37), e outros que vieram de Jerusalém (Mq 4: 1- 2; Atos 11: 27; II Tm 4: 2).

O sentimento de gratidão é o reconhecimento por um bem que alguém está nos fazendo (Cl 3: 14- 16; Jó 2: 1- 10; Jó 42: 7- 8; Pv 13: 21; Jó 1: 6- 8). Isto é uma virtude. A igreja de Antioquia tinha está virtude. Deus faz o bem para todos (Mt 5: 44- 45). Somos gratos a ele por este bem? (Jr 31: 3; Jo 12: 32; Is 53: 1- 12; Jo 3: 16; Ml 4: 2; Rt 2: 12; Sl 91: 1- 4; Mt 23: 37). Reconhecemos a nossa condição diante dele? (Rm 3: 23; Sl 51: 5; Rm 3: 10). Reconhecemos que nossa vida de pecado tem consequência? (Rm 6: 23a; I Co 10: 12; Tg 1: 13- 15; Rm 5: 12). Você reconhece que não é merecedor do favor de Deus? (Ef 2: 8- 9; Rm 4: 1- 3; Rm 5: 12- 21). Deus deixou uma saída para o pecador que reconhece a sua condição diante dele (Jo 10: 9; Jo 14: 6; Hb 10: 19- 21; I Tm 2: 5; Jo 3: 16). O reconhecimento é importante (I Co 1: 21; Atos 2: 14- 38), pois o reconhecimento é demonstração de fé (Rm 10: 17; II Co 5: 7; Hb 11: 6). Com a fé vem à aceitação (Rm 10: 8- 13; Jo 1: 1- 12). Com aceitação, vem o conhecimento da verdade (Jo 5: 24; Jo 8: 31- 36; Jo 17: 17). Com o conhecimento da verdade você passa a entender: Deus está te dando uma oportunidade (Pv 3: 23; Jo 10: 1- 2; Pv 23: 26).

A segunda viagem missionária. Separação entre Paulo e Barnabé.

 ATOS 15: 36 - Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos agora, para visitar os irmãos, por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como estão.

Por alguns dias Paulo e Barnabé e aqueles que vieram enviados pela igreja de Jerusalém pregaram, ensinaram e consolaram a igreja com muitas profecias (Atos 15: 32; Atos 26: 27; II Cr 20: 20- 28; I Co 14: 29; I Co 5: 12; I Jo 4: 1; Dt 18: 21- 22). Na igreja de Antioquia havia uma equipe de missionários, da qual Barnabé e Paulo faziam parte da liderança (Atos 13: 1- 5; I Co 12: 14- 25; Atos 6: 1- 6; I Tm 3: 8; II Tm 2: 15; Hb 4: 12; Sl 149: 6; Sl 122: 1). Daqueles que vieram de Jerusalém Silas permaneceu em Antioquia, e se ajuntou a equipe (Atos 15: 15: 34 e 40; II Tm 4: 6- 14; Atos 19: 21- 33). Paulo era um missionário com um coração de pastor (Jr 3: 15; Atos 20: 28- 30; Zc 13: 7; Atos 21: 27- 33; Atos 28: 30- 31; Is 43: 13). A preocupação com as ovelhas fazia parte da sua vida (Gl 4: 17- 19; II Co 11: 2; II Co 8: 21- 23). O que fez do apóstolo Paulo, este grande homem de Deus, foi a sua entrega em favor da igreja de Cristo (Fp 1: 15- 25; II Tm 4: 6- 7; Jo 15: 12- 17; Gl 6: 2). Paulo se doou (I Ts 2: 7; Fp 2: 14- 17); se desgastou por amor as ovelhas (II Co 12: 11- 15; Mt 5: 46; Rm 12: 21).
Paulo é um exemplo que deve ser seguido por todos aqueles que desejam pastorear o rebanho do Senhor (I Tm 3: 1- 7; I Tm 6: 10; Atos 20: 28- 30; Jr 6: 16). A vontade de Paulo associado à obra do Espírito Santo (Ap 22: 17; Atos 15: 28; Atos 5: 32), não permitiu que eles permanecessem por muito tempo envolvidos pelo fogo que caia na igreja de Antioquia (Lc 14: 21- 22; Lc 17: 5- 10; Mq 2: 10a; Lc 14: 23). A unção os incomodava (II Co 1: 21; I Jo 2: 26- 27; Ef 4: 7- 11; I Co 12: 27- 31; Rm 12: 4- 8). Paulo e Barnabé eram apóstolos (Atos 14: 14).  Apóstolo é o mesmo que missionários (Atos 13: 1- 4). Quem tem este chamado, não consegue ficar parado (Atos 9: 17- 20; Atos 4: 8- 12; Gl 2: 8; I Co 2: 1- 5; II Co 11: 13- 15). A unção que está sobre aquele que tem chamado missionário, não permite que ele se acomode á vida entre quatro paredes (Jo 4: 35; Atos 1: 8; II Tm 4: 2). Paulo movido por aquele que habitava em seu interior (I Co 3: 16; I Jo 4: 4; Jo 14: 23), propõe a Barnabé voltarem em uma segunda viagem missionária. Viagem com objetivo de fortalecer os irmãos que eles ganharam para Cristo na primeira missão (Is 35: 34; Jó 4: 3- 4; Dn 12: 3).

ATOS 15: 37- Barnabé queria levar João, chamado Marcos.

Marcos: Morava em Jerusalém (Atos 12: 12; Atos 1: 13- 14; Atos 2: 1; Sl 133: 1; Atos 2: 1- 4), e era sobrinho de Barnabé (Cl 4: 10). Devido ao seu convívio desde pequeno com a igreja (Atos 12: 5 e 12; Lc 18: 1; I Ts 5: 17; Sl 55: 17) e com aqueles que andaram com Cristo (I Pd 5: 13; Gl 2: 9; I Co 15: 1- 6) acredita- se ter sido ele com a ajuda de Lucas, o autor do Evangelho Segundo Marcos (II Tm 4: 11; Cl 4: 10 e 14; II Tm 4: 10; II Pd 2: 20- 22; Mt 12: 43- 45; Mc 13: 37). Foi auxiliar na primeira viagem missionária (Atos 13: 5; Atos 12: 25; Atos 11: 27- 30; Rm 15: 25- 16; I Co 16: 1- 3; II Co 8: 1- 3; I Co 9: 1- 7) e deu problema (Atos 13: 13; Amós 3: 3). Foi perdoado por Paulo (II Co 2: 10: 11; Mt 6: 14- 15; II Tm 4: 11). Foi considerado como filho por Pedro (I Pd 5: 13; Atos 12: 12). Não teve o seu nome relacionado entre os que foram enviados pela igreja de Jerusalém (Atos 15: 22), por já fazer parte da equipe missionária, que até então era liderada pelo seu tio Barnabé e por Paulo (Atos 13: 2; II Co 1: 21; Atos 13: 3; II Co 3: 5; Atos 13: 4; Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 12; Atos 20: 1- 12).
Barnabé: Nome verdadeiro José: Por causa do seu bom coração, foi denominado pelos apóstolos como Barnabé (que significa filho da consolação). Barnabé era judeu descendente de Levi e natural de Chipre (Atos 4: 36- 37; Atos 11: 20- 22). Converteu-se no grande avivamento de Jerusalém (Atos 4: 4- 37; Mt 6: 19- 21; Mt 13: 44- 46; Pv 13: 7; Atos 14: 14). Estendeu as mãos para Paulo quando ninguém acreditava nele (Atos 9: 26), e o apresentou á liderança da igreja de Jerusalém (Atos 9: 27). Foi enviado pela igreja de Jerusalém para assumir a igreja de Antioquia (Atos 11: 22- 24). Em Antioquia precisou de ajuda (Is 41: 6; Ec 4: 9- 12; Pv 17: 17; Pv 18: 24); foi então que lembrou- se de Paulo (Atos 11: 25- 26). Barnabé foi um grande líder, cheio do Espírito Santo (Atos 11: 22- 24) e liderou a missão (Atos 13: 2), mas não era aquele que tinha a unção na palavra (I Co 4: 20). Paulo tinha a ciência no ensino (I Co 12: 7- 8), poder na palavra (Atos 14: 12), e fazia sinais e prodígios (Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 12; Atos 20: 1- 12).

ATOS 15: 38 – Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho.

Tenho para mim que Marcos era um crente que estava avançado no seu tempo. Porque avançado no seu tempo? Marcos viveu o Evangelho de Cristo desde sua infância (I Pd 5: 13), sua mãe era convertida (Atos 12: 12), a sua casa era uma igreja do Senhor (Atos 12: 5). Mas penso eu; “que ele, como muitos do nosso tempo, também não acreditava que o nosso Deus é terrível para com os seus inimigos” (Hb 10: 26- 31). Fundamentado em que eles não acreditam que Deus possa fazer o mal? (Amós 3: 6; Is 45: 5- 7; Lm 3: 37- 38; Gn 2: 9; Pv 3: 7; Ez 28: 13- 15; Is 14: 12- 14; Gn 3: 22a; Ap 12: 7- 9; Gn 2: 15- 17; Gn 3: 1- 5; Ef 4: 27; Gn 3: 6- 8; I Pd 5: 8; Gn 3: 22b- 23; Dt 29: 29; I Tm 2: 13- 14; II Co 11: 3). Fundamentado no fato de Deus ser bom (Mc 10: 17- 18; Tg 5: 9; Jr 9: 23- 24; Os 4: 6). Tenho para mim que Marcos não gostou da atitude de Paulo com relação ao falso profeta Barjesus (Atos 13: 6- 11; Jó 21: 27ª; Atos 9: 1- 8) e abandonou a missão (Atos 13: 13; Amós 3: 3; I Co 11: 3; I Tm 3: 5; Mc 10: 2- 9; Ap 3: 6). Por isso Paulo não achava justo que ele os acompanhasse. Paulo tinha razão: (Rm 13: 1; Atos 13: 4- 5; I Sm 15: 23a). João Marcos era novo no relacionamento com o Espírito Santo ((Atos 5: 1- 10; I Tm 3: 6), e mostrou isso na primeira missão (Lc 9: 62; Hb 10: 38; Atos 13: 13; Lm 3: 22). João Marcos precisava de mais bagagem (Is 48: 17; II Tm 2: 15). Paulo não estava disposto a colocar em risco a missão, por causa da criancice de Marcos (I Co 13: 11; I Co 14: 20; II Pd 3: 15- 18). A obra de Deus não é lugar para criança (Ef 6: 10- 12; Ef 4: 27; I Pd 5: 8). A obra de Deus é para os maduros, experimentados, e que manejam bem a palavra de Deus (II Tm 2: 14- 15; Sl 1: 1- 2; Js 1: 8a).

 ATOS 15: 39- Houve entre eles um desentendimento tão sério, que se separaram. Então Barnabé levou consigo a Marcos, e navegou para Chipre.

 A vida acabou? Os dois foram para o inferno? Não. A vida continuou para os dois, Barnabé foi por um caminho e Paulo foi para o outro (Amós 3: 3; Gn 13: 7- 9; I Co 7: 10; Mt 19: 6b; Jo 6: 63). A Bíblia é a palavra de Deus (Js 1: 8; Sl 1: 1- 2; Sl 119: 105), e a palavra de Deus não esconde nada (Dt 29: 29; Atos 13: 22; II Sm 11: 1- 17). Judas era ladrão (Jo 12: 1- 6), e traiu Jesus por dinheiro (Mt 26: 14- 16). Os irmãos de Jesus eram incrédulos (Jo 7: 1- 5; Mt 12: 46- 50), e até sua mãe duvidou do seu poder (Jo 2: 3- 4; Mt 16: 21- 22; Mt 27: 40- 43; Lc 23: 39; Lc 4: 3 e 9; Mt 16: 23; Ef 5: 18). Pedro e Tiago eram ligados à circuncisão (Gl 2: 11- 14; Atos 15: 5; Atos 11: 1- 3; Atos 21: 17- 24; Gl 2: 3- 4; II Co 3: 17; Gl 2: 5; Rm 10: 4). Houve um desentendimento muito sério, entre eles (Ef 4: 26; Sl 4: 4; Lm 3: 28- 31). Não foi uma briguinha à toa, foi algo muito sério (Pv 17: 27; Pv 16: 32; II Co 13: 5; I Co 11: 28). A criancice de Marcos no passado trouxe consequência (Mc 3: 24; Hb 12: 14- 15; Mt 6: 14- 15; Cl 4: 10; II Tm 4: 11; I Co 11: 18). O diabo não esquece (Zc 3: 1- 3; Lc 22: 31; Mt 16: 20- 23; Ap 12: 10; Jó 1: 6- 11). O diabo semeou uma seta na mente de Marcos no passado (Atos 13: 13), e a seta continuou causando estrago na equipe de missionários (Hb 12: 15; I Co 5: 6; Gl 5: 9; Mt 16: 6; Cl 2: 8- 23). Um problema causado por Marcos no passado dividiu a equipe (Gl 6: 7; Atos 15: 37- 38; I Co 11: 18; I Co 1: 13). Quantas igrejas se dividiram, ou tiveram as suas portas fechadas por criancices que se tornaram uma grande contenda? (Rm 12: 18). Barnabé que era natural de Chipre e tinha muitos conhecidos na região, tomou consigo seu sobrinho Marcos e navegou para lá. A obra não para ( Is 43: 1). Aqueles que têm o chamado não se deixam embaraçar por nada (Hb 12: 1; Sl 34: 5; Ef 5: 14).  

ATOS 15: 40- Mas Paulo escolheu Silas e partiu encomendado pelos irmãos a graça do Senhor.

Fim da polêmica: Barnabé escolheu marcos, Paulo escolheu Silas, e cada um seguiu o seu caminho (Amós 3: 3; I Co 7: 10- 15; Mt 5: 38- 41; Rm 12: 18; Hb 12: 14- 15; II Co 2: 10- 11). Silas não era conhecido, e aparece pela primeira vez nas escrituras em um momento muito importante da igreja (Atos 15: 28- 29). Foi um dos escolhidos para acompanhar Paulo e Barnabé na viagem de volta para Antioquia (Atos 15: 22; Jo 15: 16; Jo 4: 19; Jr 31: 3). Provavelmente Silas conheceu Paulo nos dias em que este e Barnabé passaram em Jerusalém (Gl 1: 21- 22; Atos 15: 1- 4; Jo 15: 26; Rm 15: 18- 19; Atos 19: 11- 12). Silas observava, e admirava as pregações e os ensinos do apóstolo Paulo (I Co 1: 18- 21; I Co 2: 1- 5; I Co 3: 10- 17; I Co 6: 18- 20). Silas era um homem que tinha uma grande vontade de crescer (II Pd 3: 18; Cl 2: 2- 3; Rm 11: 33; Ef 3: 8- 11), e ser usado por Deus. Era sábio e não perdeu a oportunidade de estar perto, e aprender com um grande homem de Deus (Sl 55: 13- 14; Sl 122: 1; Mt 6: 15; I Co 11: 23- 28).

Paulo tinha o poder na palavra (I Co 4: 20; I Co 2: 4- 5; II Co 4: 3- 7), ciência, e sabedoria no ensino (I Co 12: 7- 8; II Co 1: 21; Gl 1: 11- 12) e fazia sinais e prodígios (Atos 19: 11- 12; Atos 20: 1- 12; Atos 16: 16- 18; Atos 14: 8- 10; Atos 13: 6- 12). Silas sabia que Paulo era um homem cheio da unção, e se apegou a ele, assim como Elizeu se apegou a Elias (II Rs 2: 1- 14; Ex 14: 21- 22; Jr 32: 27; Hb 11: 6; Lc 1: 37; Jo 11: 40; Atos 16: 31). Silas saiu de Jerusalém pensando como Josué (Ex 33: 11; Mt 13: 44- 46; Mt 6: 19- 21; Atos 4: 32- 37; Atos 11: 22; Atos 13: 1- 4; Atos 14: 14; Mt 25: 14- 15). Silas não tinha a intenção de se apartar de Paulo (Atos 13: 13; Atos 15: 37- 38; Mt 25: 16- 25; Atos 13: 5). Por isso ele resolveu permanecer em Antioquia (Atos 15: 33- 34; Pv 1: 5; Sl 90: 12). Da mesma maneira que Silas estava de olho em Paulo (I Co 11: 1; Gl 2: 20; II Co 5: 7; Atos 18: 9- 10; Mt 18: 20), Paulo também estava de olho em Silas (Atos 15: 40). Deus estava de olho nos dois (Sl 101: 6; II Cr 16: 9a; Atos 13: 22). Paulo tinha planos com Silas e Deus tinha planos com os dois. Grandes experiências aguardavam esses dois (Atos 16: 25- 26; Sl 149: 6; Is 45: 2).

ATOS 15: 41- E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas.

 Depois ter sido companheiro de Barnabé na grande obra feito pelos dois em Antioquia, e formar com ele a primeira dupla de Missionários enviados pelo Espírito Santo (Atos 13: 1- 4; Rm 10: 15; Ez 22: 30; Mt 20: 1; Is 6: 8) aos gentios (Atos 13: 43- 48; Is 42: 6; Gl 1: 14- 15; I Tm 1: 12- 14), Paulo agora inicia a segunda viagem com um novo companheiro (Sl 54: 13; Ec 4: 9- 12; Atos 16: 19- 26; Mt 18: 20; Mt 16: 19). A primeira e a segunda viagem missionária do apóstolo Paulo se iniciaram em Antioquia (Atos 13: 1- 4; Atos 15: 35- 40; Atos 11: 27- 28; Rm 15: 25- 26; I Co 16: 1- 3; II Co 8: 1- 3; II Co 9: 1- 5; II Co 12: 14- 18; Lc 12: 15; I Sm 8: 1- 3). Barnabé e João Marcos navegaram para Chipre, enquanto Paulo e Silas seguiram a pé pela a estrada de Damasco (Atos 9: 1- 3; Jo 8: 12; Atos 9: 5; Atos 26: 13; Ap 12: 1; Mt 10: 1- 3; Ml 4: 2- 5; Mt 11: 1- 14; Mt 17: 10- 13; Lc 1: 57- 76). Paulo e Silas seguiram viagem pregando nas igrejas; indo em direção a Tarso cidade natal de Paulo (Atos 22: 1- 3a; Atos 9: 23- 30; Atos 11: 22- 25).

 De Tarso Paulo alcançou Derbe, Listra e Icônio indo em direção a Ásia, quando foi impedido pelo Espírito Santo (Atos 16: 2- 7; Jo 14: 15- 16; Atos 8: 29; Atos 10: 19- 20). O Espírito Santo tinha outros planos para Paulo e Silas (Jo 14: 26; Atos 16: 8- 10; Jó 33: 14- 16; Atos 2: 1- 18; Jl 2: 28; Atos 2: 39; Jl 2: 29). “Os que semeiam com lágrimas (Sl 126: 5a; Lm 3: 28; Mt 6: 6; Lm 3: 29; Jó 42: 5- 6; Lm 3: 30; Mt 5: 38- 41; Lm 3: 31; Sl 26: 14) segarão com cânticos de alegria (Sl 126: 5b; Jó 35: 10; Sl 40: 1- 3; Sl 98: 1; Sl 144: 9; Jo 13: 7). Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando (Sl 126: 6 a; II Co 11: 24- 28; I Co 3: 6- 9; Ef 2: 11- 22) voltará com cânticos de alegria, trazendo consigo os seus molhos (Sl 126: 6b; Atos 13: 44; Atos 19: 11- 20). Quão formoso são sobre os montes os pés dos que anunciam boas novas (Is 52: 7a; Lc 2: 8- 11; Atos 4: 8- 12; Atos 9: 17- 20; I Co 2: 2; Rm 1: 16- 17; II Tm 2: 2- 5), que faz ouvir a salvação que diz a Sião: O teu Deus reina! (Is 52: 7b; Dn 2: 31- 35; Is 28: 16; Mt 21: 33- 42; Atos 4: 11; I Pd 2: 3- 10)”.

 

Pr. Ev. Sérgio Lopes Voltar para o mergulhando

Leia os outros capítulos: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27 28                          
 


BUSQUE NO SITE:




DEIXE SEU RECADO:

   

Amazing Counters

Já visitaram


© 2009 PALAVRAS DA VIDA - SUA IGREJA NA INTERNET | Todos os dirseitos reservados |